A arte transmídia de instalação nas décadas de 1960/1970 e na contemporaneidade (André Parente e Kátia Maciel)

Autores

  • Natasha Marzliak (UNICAMP, Brasil) UNICAMP
  • José Eduardo Ribeiro de Paiva (UNICAMP, Brasil) UNICAMP
  • Marcelo Antonio Milaré Veronese (UNICAMP, Brasil) UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v14i1.35932

Resumo

A arte no contexto da transmídia, ao se contaminar por recursos de diversos meios, tais como o cinema, o vídeo e as novas tecnologias audiovisuais, ultrapassa fronteiras, abre passagens e desloca espaços e temporalidades sugerindo a participação do público. A partir de uma proposição comparativa e temporal, este estudo pretende traçar possibilidades dialógicas dos conceitos e práticas da arte de instalação transmidiática de vanguarda que tiveram início na década de 1960 e se prolongaram por toda a década de 1970 – sobretudo os do grupo Fluxus, de Jack Smith, do Cinema expandido, das manifestações ambientais de alguns artistas brasileiros (a exemplo de Hélio Oiticica) e da atualidade, com enfoque em dois artistas brasileiros: André Parente e Kátia Maciel.

Palavras-chave: arte transmídia, instalação, audiovisual

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natasha Marzliak (UNICAMP, Brasil), UNICAMP

Bacharel em Artes Visuais (2005), mestra em Cultura Audiovisual e Mídia (2012) e doutoranda em Multimeios e Arte (2014 - andamento) no Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes da UNICAMP e no Departamento de Cinema e Audiovisual da Universidade Panthéon-Sorbonne Paris 1. Artista visual, cineasta e pesquisadora, atua em projetos de video-arte, filme experimental e de vídeo e cine-instalação.

José Eduardo Ribeiro de Paiva (UNICAMP, Brasil), UNICAMP

José Eduardo Ribeiro de Paiva,  (Eduardo Paiva) é professor do Departamento de Multimeios, Mídia e Comunicação do Instituto de Artes da UNICAMP e professor do programa de pós graduação em Artes Visuais e do programa de pós graduação em Música da mesma instituição. Graduado em Música, mestre em Artes e Doutor em Multimeios, desenvolve desde os anos 80, trabalhos sobre as relações entre arte, mídia,  tecnologia e produção audiovisual.

Marcelo Antonio Milaré Veronese (UNICAMP, Brasil), UNICAMP

Bacharel em Letras (1998), Mestre em Teoria e História Literária (2009) e doutorando em Teoria e História Literária (2011 – em andamento) pelo Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Tem experiência na área de Língua Portuguesa, Redação, Poesia e Literatura, com ênfase em: Poesia Brasileira, Literatura Brasileira, Poesia Italiana, Poesia Inglesa, Poesia Francesa, Beat Generation.

Referências

Referências bibliográficas

BASBAUM, Ricardo. KM: Devarios. Catálogo Dois (org. André Parente e Kátia Maciel). Caixa Cultural, Brasília: 2014. Disponível em: http://static1.squarespace.com/static/5446cccce4b0721294212654/t/54c64358e4b0dec48bcd3700/1422279512331/livro+dois.pdf. Último acesso em: 26 abr. 2015.

BELLOUR, Raymond. Entre-imagens. São Paulo: Papirus, 1997.

CARRAPATOSO, Thiago. A arte do cibridismo. FUNARTE, 2010. Disponível em: http://www.academia.edu/2553888/A_Arte_do_Cibridismo. Último acesso em: 5 maio 2015.

COSTA, Cacilda Teixeira da. Wesley Duke Lee: um salmão na corrente taciturna. São Paulo: EdUSP, 2005.

DELEUZE, Gilles. L’image-mouvement. Cinéma 1. Les Éditions de Minuit: Paris, 1983.

DEWEY, John. Últimos Escritos, 1925-1953. In BOYDSTON, Jo Ann (org.). Arte como Experiência. (Trad.) Vera Ribeiro. São Paulo: Martins Fontes, 2010. 648p.

DUCHAMP, Marcel. O ato criador. In BATTCOCK, G. A nova arte. Trad. Cecília Prada e Vera de Campos Toledo. São Paulo: Perspectiva, 1975.

FAVARETTO, Celso Fernando. A invenção de Hélio Oiticica. São Paulo: Edusp, 1992.

FIGUEIREDO, Luciano. (org.). Lygia Clarck – Hélio Oiticica: Cartas – 1964-1974. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998.

FRIELING, Rudolf. & DANIELS, Dieter (org). Medien Kunst Aktion: Die 60er Und 70er Jahre in Deutschland / Media Art Action: Yhe 1960s And The 1970s in Germany. Viena/ Nova Iorque: Springer, 1997.

GOBATTO, Marcelo Roberto. Entre Cinema e Videoarte: Procedimentos disjuntivos de montagem e narrativas sensoriais. 2007. 327f. Tese (Doutorado em Artes Visuais) - Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, 2009.

LAGNADO, Lizette. A instauração: um conceito entre instalação e performance. In: BASBAUM, Ricardo. Arte contemporânea brasileira. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001.

MACIEL, Kátia. Transcinemas e a estética da interrupção. In BRUNO, Fernanda; FATORELLI, Antonio. Limiares da Imagem - Tecnologia e Estética na Cultura Contemporânea. Rio de Janeiro: Mauad Editora, 2006.

MACIUNAS, George. Manifesto on Art – Fluxus Art Amusement, 1965. Disponível em: http://randallszott.org/. Último acesso em 18 maio 2015.

MACHADO, Arlindo. Made in Brasil: Três Décadas do Vídeo Brasileiro, São Paulo: Iluminuras: Itaú Cultural, 2007.

MALLARMÉ, Stéphane. Un coup de dés jamais n’abolira le hasard. Paris: Gallimard, 1993.

MCSHINE, Kynaston. Information Exhibition Research, The Museum of Modern Art Archives, New York. Disponível em: < moma.org/learn/resources/archives>. Acesso em: 9 Set. 2012

MELLO, Christiane. Extremidades do Vídeo. São Paulo: Editora Senac, 2008.

MORSE, Margaret. Video installation art: the body, the image, and the space-in-between. In HALL, Doug e FIFER, Sally Jo (org.). Illuminating Video – an Essential Guide to Video Art. New York: Aperture, 1990.

OITICICA, Hélio. Hélio Oiticica. Carta ao Guy Brett, 2 de abril de 1968. Rio de Janeiro: Rioarte, 1996

_______________. Aspiro ao grande labirinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

_______________. PHO 0316/73

_______________. AHO/PHO 1111/71

_______________. PHO 0409/72

PARENTE, André. A imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Editora 34,1993.

RUSH, Michael. Novas Mídias na Arte Contemporânea. Tradução Cássia Maria Nasser. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

SANTAELLA, Lúcia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus. 2003. p. 162.

SPERLING, David. Corpo + Arte = Arquitetura. As proposições de Hélio Oiticica e Lygia Clark. In BRAGA, Paula (org.). Seguindo Fios Soltos: caminhos na pesquisa sobre Hélio Oiticica. Edição especial da Revista do Fórum Permanente (www.forumpermanente.org) (ed.) Martin Grossmann.

VOSTELL, Wolf. Catálogo da exposição Dé-coll/age. The Art of Wolf Vostell. Bélgica: Verbeke Foundation, 14.04.2012 a 29.07.2012.

YOUNGBLOOD, Gene. Expanded Cinema. New York: Dutton, 1970.

Downloads

Publicado

2016-09-06

Como Citar

MARZLIAK (UNICAMP, BRASIL), N.; RIBEIRO DE PAIVA (UNICAMP, BRASIL), J. E.; MILARÉ VERONESE (UNICAMP, BRASIL), M. A. A arte transmídia de instalação nas décadas de 1960/1970 e na contemporaneidade (André Parente e Kátia Maciel). Visualidades, Goiânia, v. 14, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/vis.v14i1.35932. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/35932. Acesso em: 18 maio. 2024.