IMPACTOS AMBIENTAIS NA SAÚDE HUMANA ORIUNDOS DA POLUIÇÃO SONORA NAS UNIDADES DE SAÚDE EM CATOLÉ DO ROCHA

Autores

  • Fabiana Xavier Costa Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Campina Grande, Paraíba, Brasil, fabyxavierster@gmail.com
  • Cledson Morais Dantas Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campina Grande, Paraíba, Brasil, fabiana.xavier@insa.gov.br
  • Emanoel Lima Martins Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, emanoel.martins@insa.gov.br
  • Salomão de Sousa Medeiros Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, Minas Gerais, Brasil, salomao.medeiros@insa.gov.br
  • Francisco de Oliveira Mesquita Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), Mossoró, Rio Grande do Norte, Brasil, francisco.mesquita@insa.gov.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/teri.v10i1.62748

Palavras-chave:

clínicas; ruídos; decibelimetro

Resumo

Resumo - Objetivou-se com este trabalho avaliar os impactos ambientais negativos na saúde da população, oriundos da poluição sonora das unidades de saúde do município de Catolé do Rocha-PB. O presente trabalho foi realizado em todas as unidades de saúde públicas e algumas particulares, no município de Catolé do Rocha – PB, sendo eles - Hospital Regional Americo Maia, PSF Batalhão, Clínica Dr. Iran Campos, Hospital Infantil Erminia Evangelista, USF (Unidade de Saúde da Família), PSF Várzea, PSF CAIC, Laboratório de análise clínica Dr. João Veras Diniz, Odonto-Center, Centro de Saúde. De acordo com os parâmetros ambientais, todos os setores das unidades de saúde de Catolé do Rocha – PB, houve excesso de ruído, ou seja, teve um valor de decibéis (db) que ultrapassa o teor recomendado pela audição humana. Todos os setores de unidades de saúde trabalhados emitiram poluição sonora acima de 65 db, isso mostra que, esses setores estão funcionando fora da lei, quando diz que o ouvido humano deve suportar até 65 db.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Xavier Costa, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Campina Grande, Paraíba, Brasil, fabyxavierster@gmail.com

Departamento de Ciências Agrárias e Exatas.

Área de Recursos Naturais.

Emanoel Lima Martins, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, emanoel.martins@insa.gov.br

Engenheiro agronômo. D.Sc em Ciência do Solo;

Pesquisador do Instituto Nacional do Semiárido (INSA).

Salomão de Sousa Medeiros, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, Minas Gerais, Brasil, salomao.medeiros@insa.gov.br

Graduado em Engenharia Agrícola – UFPB. Campina Grande – PB. D.Sc em Recursos Hídricos e Ambientais – UFV, Viçosa -MG.

Pesquisador do Instituto Nacional do Semiárido

Francisco de Oliveira Mesquita, Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), Mossoró, Rio Grande do Norte, Brasil, francisco.mesquita@insa.gov.br

Engenheiro agronômo. Doutor em Manejo de Solo e Água;

Pesquisador do Instituto Nacional do Semiárido – PCI/CNPq

 

Downloads

Publicado

27-12-2020

Como Citar

Costa, F. X., Cledson Morais Dantas, Emanoel Lima Martins, Salomão de Sousa Medeiros, & Francisco de Oliveira Mesquita. (2020). IMPACTOS AMBIENTAIS NA SAÚDE HUMANA ORIUNDOS DA POLUIÇÃO SONORA NAS UNIDADES DE SAÚDE EM CATOLÉ DO ROCHA. Revista Terceiro Incluído, 10(1), 09–19. https://doi.org/10.5216/teri.v10i1.62748

Edição

Seção

ARTIGOS