O Estado Brincante

Autores

  • Miguel Almir Lima Araujo UEFS

DOI:

https://doi.org/10.5216/teri.v7i1.48257

Palavras-chave:

brincante, impulso lúdico, plasticidade, inteireza, libertário.

Resumo

O texto plasma ponderações/meditações acerca do estado brincante desde um horizonte compreensivo que prima por olhares polilógicos e transdisciplinares. Nessa perspectiva, trata do estado brincante como estado de dis-posição e de abertura do senso de humor que viceja a coexistência seminal e in-tensiva entre o corpo e o espírito humanos; como expressão do estado de espanto e de admiração que envolve a inteireza de nosso ser na fruição do impulso lúdico mediante as sensações e sentimentos de bem estar e altivez, de despojamento e gratuidade, de alegria e contenteza; como tradução da plasticidade e do dinamismo rítmico dos fluxos moventes da tragicomicidade do existir que insuflam processos criantes e libertários que implicam na transgressão da sisudez das fôrmas instituídas e compressivas e no envidar de processos de mutação e de emancipação; como o constelar da poeticidade do jogo que perfaz as proezas do cotidiano na expressão do riso e da vivacidade que dão cromaticidade e alumbramento ao existir.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miguel Almir Lima Araujo, UEFS

Professor da UEFS. Doutor em Educação

Downloads

Publicado

2017-12-11

Como Citar

ARAUJO, M. A. L. O Estado Brincante. Revista Terceiro Incluído, Goiânia, v. 7, n. 1, p. 19–30, 2017. DOI: 10.5216/teri.v7i1.48257. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teri/article/view/48257. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS