RISCOS E EXPRESSÕES TERRITORIAIS DA CATÁSTROFE ANUNCIADA: CONTROVÉRSIAS E INCERTEZAS SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS. - DOI: 10.5216/teri.v2i1.19954

Autores

  • Andrei CORNETTA Pesquiasador vínculado ao Laboratório de Geografia Agrária do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (DG/USP).

DOI:

https://doi.org/10.5216/teri.v2i1.19954

Palavras-chave:

ciência e política, mudanças climáticas antropogênicas, mercado de carbono, riscos e território

Resumo

Com o objetivo de ressaltar o papel da ciência contemporânea, em especial das ciências atmosféricas, por meio da figura do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas e de sua influência sobre a elaboração de políticas econômicas voltadas para as mudanças climáticas, discute-se neste artigo as dinâmicas de funcionamento desse órgão, bem como a atuação desse Painel vem legitimando uma série de normativas para a consolidação de um mercado internacional de emissões de gases efeito estufa. A abordagem é focada nas relações entre ciência e política e os riscos relacionados com as políticas internacionais sobre mudanças climáticas. Em particular, examina-se os riscos implícitos nas relações (distantes) entre especialistas e políticos.

Palavras-chave: ciência e política; mudanças climáticas antropogênicas; mercado de carbono; riscos e território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrei CORNETTA, Pesquiasador vínculado ao Laboratório de Geografia Agrária do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (DG/USP).

Andrei Cornetta possui graduação em Geografia pela Universidade de São Paulo (2006) e é mestre em Geografia Humana pela mesma universidade. Foi professor de geografia do ensino fundamental e médio, de 2002 a 2007, e do superior, desde 2008. Possui experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Política, Econômica, Agrária, Meio Ambiente e Educação.

Referências

AYMA, E. M. Cambio climático: Salvemos al planeta del capitalismo. 28 nov. 2008. La Paz: Ministerio de Medio Ambiente y Agua (MMAyA). Disponível em: . Acesso em 13 abr. 2009.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.

BECK. U. La sociedad del riesgo mundial. En busca de la seguridad perdida. Barcelona: Paidós, 2008.

CHANG, M.Y. Seqüestro de carbono florestal no Brasil: dimensões políticas, socioeconômicas e ecológicas. São Paulo: Annablume, 2004.

CONTI, J. B. Considerações sobre as mudanças climáticas globais. São Paulo: Revista da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Geografia (ANPEGE). n° 2/. pp. 81-88. 2005.

HARVEY, D. O neoliberalismo. História e implicações. São Paulo: Loyola, 2008.

INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE (IPCC). Mudança do Clima 2007: Impactos, Adaptação e Vulnerabilidade. Sumário para os Formuladores de Políticas: Quarto Relatório de Avaliação, Grupo de Trabalho II. 2007a.

______. Mudança do Clima 2007: Mitigação da Mudança do Clima. Sumário para os Formuladores de Políticas: Quarto Relatório de Avaliação do IPCC, Grupo de Trabalho III. 2007b.

¬______. Procedures for the preparation, review, acceptance, adoption, approval and publication of IPCC reports: Appendix A to the Principles Governing IPCC Work. Disponível em: <http://www.ipcc.ch/pdf/ipcc-principles/ipcc-principles-appendix-a.pdf>. Acesso em 27 set. 2009.

KNORR-CETINA, K. Scientific comunities or transepistemic arenas of research? A critique of quase-economic model of science. In: Social studies of science. vol. 12, n° 1, pp. 101-130, fev.1982.

_______. La fabricación del conocimiento. Um ensayo soble el carácter constrictivista y contextual de la ciencia. Buenos Aires: Universidad Nacional de Quilmes Editorial, 2005.

MOLION, L. C. B. Efeitos de vulcões no clima. Caderno de Geociências, n° 12, p. 13-24, out./ dez., 1994.

MONTEIRO, C. A. de F. Clima e excepcionalismo. Clima e excepcionalismo. Conjecturas sobre o desempenho da atmosfera como fenômeno geográfico. Florianópolis: Editora da UFSC, 1991.

NATENZON, C. E. et al. Las dimensiones del riesgo en ámbitos urbanos. Catastrofes en el area metropolitana de Buenos Aires. In: BERTOCELLO, R; CARLOS, A.F.A. (orgs). Processos territoriales en Argentina y Brasil. Buenos Aires: Instituto de Geografia, Facultad de Filosofia y Letras, Universidad de Buenos Aires, 2003.

ROCHADELLI, R. A estrutura de fixação dos átomos de carbono em reflorestamentos. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Setor de Ciências Agrárias, UFPR, Curitiba, 2001.

SANT’ANNA NETO, J. L. Da complexidade física do universo ao cotidiano da sociedade: mudança, variabilidade e ritmo climático. Terra Livre, São Paulo: ano 19, v. I, n. 20, p. 51-63, jan-jul. 2003.

SANTOS, M. Por uma outra globalização. São Paulo: Record, 2000.

______.A natureza do espaço. São Paulo: Edusp, 2004.

STOZHKOV, Y.; POKREVS, P.; OKHLOPK, V. P. Long-term negative trend in cosmic ray flux. Journal of geophysical research. Vol. 105, n° A1, pp. 9-17, jan. 2000.

VEYRET, Y. Os Riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2007.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

CORNETTA, A. RISCOS E EXPRESSÕES TERRITORIAIS DA CATÁSTROFE ANUNCIADA: CONTROVÉRSIAS E INCERTEZAS SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS. - DOI: 10.5216/teri.v2i1.19954. Revista Terceiro Incluído, Goiânia, v. 2, n. 1, p. 25–40, 2012. DOI: 10.5216/teri.v2i1.19954. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teri/article/view/19954. Acesso em: 21 jun. 2024.