EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE: UMA ABORDAGEM TRANSDISCIPLINAR - DOI 10.5216/teri.v1i1.14397

Autores

  • Roseane PALAVIZINI UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5216/teri.v1i1.14397

Palavras-chave:

Transdisciplinaridade, Educação Ambiental, Sustentabilidade, Educação para a Paz, Tecnologia Social

Resumo

Diante do aumento demográfico da população idosa no mundo, constatamos que a medicina fundamentada numa concepção mecânica de homem não se mostra suficiente e satisfatória. Por ser um método topográfico, que é acionado quando o médico identifica qual a parte doente do corpo, ao que se segue um diagnóstico e consequentemente um tratamento, decorre assim uma somatória de prescrições diante da multiplicidade de diagnósticos. Como a maioria dos idosos tem mais de um diagnóstico (75%), ocorre o sério problema da polifarmácia (como é conhecida a sobreposição de vários medicamentos simultâneos em um mesmo indivíduo), cujos efeitos colaterais levam à internação hospitalar cerca de 12% dos idosos tratados. Além deste índice de internações, 80% dos idosos tratados pela medicina convencional têm pelo menos um efeito colateral em seu tratamento! O estudo epidemiológico sobre o envelhecimento demonstra que a principal causa de perdas funcionais na velhice, em decorrência das doenças crônicas, é o estilo de vida, que resulta de fatores multidimensionais, como escolhas alimentares, hábitos de sono e ritmo de vida, crenças, postura e atividade física etc. Desta forma, mudar do modelo mecânico newtoniano, adotado pela Medicina Convencional, desde a perseguição aos pensadores sistêmicos realizada pela Inquisição no final do primeiro milênio, para uma concepção multidimensional inspirada na física quântica contemporânea, foi fundamental para compreender melhor o processo de adoecer do ser humano. Na concepção multidimensional, a qual considera as dimensões: física (órgãos e sistemas), metabólica (fluido composto por sangue e linfa que integra e comunica os sistemas), vital (relacionado aos ritmos do corpo: sono, apetite, excreções, respiração etc.) mental (postura física e atitude mental diante da realidade interna e externa) e supramental (espiritualidade como “arquivo” da missão essencial e da Individualidade do ser humano), pode-se identificar uma cascata de causalidade descendente (5) que se inicia quando a pessoa se desconecta de sua vocação essencial (dimensão supramental ou espiritual) e constrói modelos mentais de vida ancorados numa percepção ilusória da realidade, com valores circunstanciais como a ambição material baseada no poder alcançado pela violência, conhecido como Androcracia. Esta atitude de exploração baseada no desrespeito pelo outro e na dominação da Natureza é a principal causa da insustentabilidade que aflige o mundo contemporâneo, com reflexos diretos na saúde.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roseane PALAVIZINI, UFSC

Arquiteta Urbanista, Doutora em Engenharia Ambiental - UFSC, Mestre em Urbanismo – UFBA, Especialista em Planejamento Municipal e Gestão Urbana – UFBA e Gestão Ambiental e Educação Ambiental – UCSal. (palavizini@gmail.com). Urbanist Architect , PhD in Environmental Engineering - UFSC, Master in Urban Planning - UFBA, Town Planning and Urban Management Specialist - UFBA and Environmental Management and Environmental Education - UCSal. (palavizini@gmail.com)

Referências

HABERMAS, Jüugen. Teoria de La Accion Comunicativa. 2 Tomos. Madrid: Tourus, 1987.

LEI FEDERAL 9.795/ abril 1999 – Política Nacional de Educação Ambiental.

LEI FEDERAL 9.433/ jan. 1997 – Política Nacional de Recursos Hídricos.

LEI FEDERAL 9.985/ julho 2000 – SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação.

LEI FEDERAL 10.257 julho 2001 - Estatuto da Cidade.

MATURANA, Humberto; VARELA, Francisco. Autopoiésis and Cognition. Dordrecht, Ho: D.Reidel, 1980.

MATURANA, Humberto. El Sentido del Humano. Santiago: Dolmen, s/d.

MATURANA, Humberto; REZEPKA, Sima Nisis de. Formação Humana e Capacitação. Trad. Jaime A. Clasen. Petrópolis: Vozes, 2000.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Trad. Catarina Eleonora da Silva e Jeane Sawaya. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2001.

______ La methode V - L humanite de L humanite. Lisboa: Seuil, 2001.

NICOLESCU, Basarab. O manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: TRIOM, 1999.

PALAVIZINI, Roseane. Gestão Transdisciplinar do Ambiente: Uma Perspectiva aos Processos de Planejamento e Gestão Social no Brasil. Tese de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental – UFSC, Florianópolis, 2006.

PRIGOGINE, Ilya, STENGERS, Isabelle. A nova aliança. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1984. 248p.

SILVA, Daniel J. O Paradigma Transdisciplinar: uma perspectiva metodológica para a pesquisa ambiental. In: PHILIPPI, Arlindo (Eds), Interdisciplinaridade em Ciências Ambientais. São Paulo: Signus, 2000.

WIEL, Pierre. A Arte de Viver em Paz: UNESCO, 1990.

Downloads

Publicado

2013-10-09

Como Citar

PALAVIZINI, R. EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE: UMA ABORDAGEM TRANSDISCIPLINAR - DOI 10.5216/teri.v1i1.14397. Revista Terceiro Incluído, Goiânia, v. 1, n. 1, p. 25–35, 2013. DOI: 10.5216/teri.v1i1.14397. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teri/article/view/14397. Acesso em: 24 fev. 2024.