Novo século, novo milênio

Intelectuais e representações do futuro na passagem do século XX para o XXI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/rth.v25i2.72861

Palavras-chave:

intelectuais, futuro, representações

Resumo

No final do século XX, a chegada de um novo milênio criou um campo fértil para profecias, previsões e conjecturas sobre o futuro. Neste cenário, em meio a todos os tipos de futurólogos, alguns intelectuais se apresentaram, buscando traçar caminhos mais seguros e confiáveis para o porvir. Neste sentido, nosso artigo analisa três intelectuais (Umberto Eco, Jacques Attali e Eric Hobsbawm) que, naquele momento, tornaram públicas suas projeções sobre o futuro. Nosso objetivo é mostrar como, dentro destes exercícios de previsões, “ontem”, “hoje” e “amanhã” se articulavam numa espécie de enredo no qual o futuro seria o ponto culminante do passado e do presente.

Biografia do Autor

Flávio Raimundo Giarola, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Divinópolis, Minas Gerais, Brasil, flaviogiarola@yahoo.com.br

Currículo: http://lattes.cnpq.br/9650497831359209

Referências

ARAUJO, Valdei Lopes de; PEREIRA, Mateus Henrique de Faria. Atualismo 1.0: como a ideia de atualização mudou o século XXI. Vitória: Editora Milfontes/ Mariana: Editora da SBTHH, 2019.

ATTALI, Jacques. Dicionário do século XXI. Tradução de Clóvis Marques. Record: Rio de Janeiro, 2001.

BOBBIO, Norberto. Os intelectuais e o poder: dúvidas e opções dos homens de cultura na sociedade contemporânea. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Editora Unesp, 1997.

DAVID, Catherine; LENOIR, Frédéric; TONNAC, Jean-Philippe de. Entrevistas sobre o fim dos tempos. Tradução: José Laurenio de Melo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

CLEBERT, Jean Paul. História do Fim do Mundo. Tradução de Jorge Pinheiro. Sintra: Publicações Europa-América, 1995.

ECO, Humberto. Para todos os fins úteis. In: DAVID, Catherine; LENOIR, Frédéric; TONNAC, Jean-Philippe de. Entrevistas sobre o fim dos tempos. Tradução: José Laurenio de Melo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

FRANCO JR. Hilário. O fim do mundo. In: Folha de São Paulo, 14 de mar. 1997. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1997/3/14/caderno_especial/16.html. Acesso em 09/05/2022

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Tradução de Raul Fiker. São Paulo: Editora Unesp, 1991.

GLEISER, Marcelo. O fim da terra e do céu: o apocalipse na ciência e na religião. Companhia das Letras: São Paulo, 2011.

GOMES, Ângela de Castro. A República, a história e o IHGB. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2009.

HOBSBAWM, Eric. O Novo Século: entrevista a Antônio Polito. Tradução de Cláudio Marcondes. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

HOLLAND, Tom. Milênio: a construção da cristandade e o medo da chegada do ano 1000 na Europa. Tradução de Alexandre Martins. Record: Rio de Janeiro, 2014.

IEGELSKI, Francine. Resfriamento das sociedades quentes? – Crítica da modernidade, História Intelectual, História Política. Revista de História, n. 175, p. 385-414, 2016.

KAHN, Herman; WIENER, Anthony J.. O ano 2000. Tradução de Raul de Polillo. São Paulo: Melhoramentos, 1970.

MINOIS, Georges. História do futuro: dos profetas à prospectiva. Tradução de Mariana Echalar. São Paulo: UNESP, 2016.

NICOLAZZI, Fernando. A História entre tempos: François Hartog e a conjuntura historiográfica contemporânea. História: Questões e Debates, Vol. 53, n.2, p.229-257, 2010.

SCHAFF, Adam. A Sociedade Informática: as conseqüências sociais na segunda revolução industrial. Tradução de Carlos Eduardo Jordão Machado e Luiz Arturo Obojes. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista: Brasiliense, 1995.

SERVIER, Jean. Historia de la utopia. Monte Avila: Venezuela, 1969.

Downloads

Publicado

2023-01-17

Como Citar

GIAROLA, F. R. Novo século, novo milênio: Intelectuais e representações do futuro na passagem do século XX para o XXI. Revista de Teoria da História, Goiânia, v. 25, n. 2, p. 258–273, 2023. DOI: 10.5216/rth.v25i2.72861. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/72861. Acesso em: 21 maio. 2024.