“MALÍCIA, IGNORÂNCIA OU NEGLIGÊNCIA”: ABDIAS DO NASCIMENTO E A CRÍTICA DA CONSCIÊNCIA HISTÓRICA

Autores

Palavras-chave:

quilombismo, consciência histórica, personalidade africana, agência negra, localização

Resumo

Nesta escrita trato das minhas experiências enquanto leitor dos escritos de Abdias do Nascimento. Retomo aqui, a partir de O quilombismo - documentos de uma militância quilombista -, às atividades desse intelectual negro e de seu ativismo na década de 1970 e início dos anos de 1980. Busco dar entendimento ao seu pensamento, cuja concepção encontra-se intimamente atada às ideias de consciência histórica e de personalidade africana. Conceitos-chave do movimento Pan-Africanista que, por sua vez, perfazem-se vinculados às perspectivas de renascimento africano e de regeneração da África. Dedico-me, assim, a análise dos documentos 1, 3 e 7 de O quilombismo, tendo em conta a conexão de tais conceitos com a ideia de negritude para além da interiorização individual subjetivista de seus sentidos. Retomo, assim, as perspectivas de personalidade africana, personalidade negra e consciência negra como expressões de crítica ao modelo civilizatório eurorocentrista. O Quilombo, portanto, como tradução e força do espírito das instituições político-econômicas, religião, arte e cultura, mas também, comunidade em solidariedade; convivência e comunhão social. E, enquanto sua derivação e visão de mundo, o quilombismo como concepção de localidade e de centralidade da tradução de práticas - saberes e experiências outras de grande lastro histórico.

Biografia do Autor

Antonio Donizeti Fernandes, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP-FFC) - Bacharelado e Licenciatura (1991 e 1992). Especialização em Saúde Pública pela Universidade do Estado de São Paulo (USP-FSP) (1994), Mestrado em Ciências Sociais pela UNESP-FFC (2002) e Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP-FFC) (2012) e Pós-Doutorado em História Social UFRGS (2018). Atualmente é Professor Adjunto no Centro de Ciências Humanas e da Educação (CJ\CCHE) da Universidade do Norte do Paraná (UENP), foi Coordenador do Programa de Iniciação a Docência (Pibid\CCHE - Pedagogia 2015), Professor no Plano Nacional de Formação de Professor da Educação Básica (Parfor 2014 e 2017) e, também, Professor no curso de Pós-Graduação Humanidades Lato Sensu (CJ\CCHE) (2017). Possui experiência nas áreas de conhecimento de Sociologia e Antropologia, com ênfase em temas relacionados ao trabalho pedagógico, relações étnico-raciais, história da África, religiões de matriz africana e saúde do trabalhador.

Referências

BASTIDE, Roger. A propósito do Teatro Experimental do Negro. São Paulo, Anhembi, n. 9, v. III, 1951, p. 541-544.

BARBOSA, Muryatan Santana. O TEN e a negritude francófona no Brasil: Recepções e Inovações. RBCS, n. 81, v. 28, 2013, p. 171-252.

BUTRLER, Kin D. A nova negritude no Brasil – movimento pós-abolição no contexto da diáspora africana. In: GOMES, Flávio; DOMINGUES, Petrônio (Org.). Experiências da emancipação: biografias, instituições e movimentos sociais no pós-abolição (1890-1980). São Paulo: Selo Negro, 2011.

CAVALCANTI, Pedro Celso Uchôa; RAMOS, Jovelino. In: Memórias do exílio – Brasil 1964- 19?? São Paulo: Editora Livramento Ltda, 1976.

CERVO, Amado Luiz; BUENO, Clodoaldo. História da política exterior do Brasil. Brasília: Editora UNB, 2002.

CUSTÓDIO, Túlio A. Samuel. Construindo o (auto)exílio: trajetória de Abdias do Nascimento nos Estados Unidos, 1968-1981.2012. 169 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

DACRAENE, Philippe. O Pan-Africanismo. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1962.

DEVÉS-VALDÉS, Eduardo. O pensamento africano subsaariano: Conexões e paralelos com o pensamento latino-americano e o asiático (um esquema). São Paulo: CLACSO -EDUCAM, 2008.

DIOP, Cheikh Anta. Naciones negras y cultura. De la antiguedad negroegipsia a los problemas culturales del África hoy. Barcelona: Belaterra, 2012.

GATES Jr. Louis Henry. Os negros na América Latina. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

KEITA, Boubacar Namory. Contribuição endógena para escrita da história da África Negra: ensaio sobre a obra de Cheikh Anta Diop. Luanda-Sul: Mayamba, 2015.

LARA, Silvia Hunold. Introdução: a história social e o racismo. Campinas, Rev. História Social, n. 19, 2010, p. 15-18.

MAGNOLI, Demétrio. Uma gota de sangue - História do pensamento racial. São Paulo: Contexto, 2009.

MOURA, Clóvis. Brasil: Raízes do protesto negro. São Paulo: Global, 1983.

MOORE, Carlos Weddeburn. Abdias Nascimento e o surgimento de um Pan-Africanismo contemporâneo global. In: NASCIMENTO, Abdias. O Brasil na mira do Pan-Africanismo. Salvador. EDUFBA, 2002. p. 17-32.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

NASCIMENTO, Abdias do. O quilombismo: Documentos de uma militância pan-africanista Petrópolis: Vozes, 1980.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: Processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

NASCIMENTO, Abdias do. O Negro revoltado. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

NASCIMENTO, Abdias do. Abdias do Nascimento: Sitiado em Lagos – autodefesa de um negro acossado pelo racismo. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 1981.

NASCIMENTO, Abdias do. Prólogo para brancos In: Sortilégio II: Mistério de Zumbi redivivo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

NASCIMENTO, Abdias do. Dramas para negros e prólogo para brancos: Antologia do teatro negro brasileiro. Rio de Janeiro: Teatro Experimental do Negro, 1961.

NASCIMENTO, Abdias do. Quilombo: vida, problemas e aspirações do negro: Edição Facsimilar do Jornal dirigido por Abdias do Nascimento. São Paulo: Editora 34, 2003, n. 5, p. 1.

OLIVA, Ricardo. A história da África nos bancos escolares: Representações e imprecisões na literatura didática. Estudos Afro-brasileiros, n. 3, ano 25, 2003, p. 421-461.

RACIONAIS MCS. Negro Drama. In: Nada como um dia após o outro. São Paulo: Cosa Nostra/Zambia, 2002.

RAMOS, Alberto Guerreiro. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Editora UERJ, 1995.

RISÉRIO, Antonio. A utopia brasileira e os movimentos negros. São Paulo: Editora 34, 2007.

VELOSO, Caetano. Triste Bahia. Transa. Polygram, 1971.

Downloads

Publicado

2020-01-01

Como Citar

FERNANDES, A. D. “MALÍCIA, IGNORÂNCIA OU NEGLIGÊNCIA”: ABDIAS DO NASCIMENTO E A CRÍTICA DA CONSCIÊNCIA HISTÓRICA. Revista de Teoria da História, Goiânia, v. 22, n. 2, p. 101–122, 2020. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/59418. Acesso em: 16 jul. 2024.