HISTÓRIA E LITERATURA: ENTREVISTA COM WILLI BOLLE

Autores

  • Augusto Bruno de Carvalho Dias Leite UFES
  • Josias Freire IFB-DF
  • Marcello Felisberto Morais Assunção USP

Resumo

Willi Bolle (Stefan Wilhelm Bolle) nasceu em 1944 em Berlim. Em 1966, aos 22 anos, veio ao Brasil para encontrar João Guimarães Rosa, tendo realizado desde então estudos sobre sua obra. Desenvolveu ao longo de sua trajetória diversas reflexões na intersecção entre história e literatura, sendo a “modernidade” brasileira o objeto primordial desses escritos. Tem sido um dos grandes divulgadores da obra de Walter Benjamin no Brasil, organizando coletâneas como Documentos de cultura, documentos de barbárie (BOLLE, 1986) e a versão em português das Passagens (BOLLE, 2006). É Professor Titular de Literatura Alemã na USP. O convite para a entrevista (via e-mail) foi realizado durante o evento “Testemunho e melancolia”, realizado na UFES entre os dias 24 e 26 de setembro de 2018.

Biografia do Autor

Augusto Bruno de Carvalho Dias Leite, UFES

Doutor (2017), mestre (2013) e licenciado (2010) em História, área de concentração Teoria da História, pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Realizou estágio doutoral na Université Paris VII - Denis Diderot, França (2013-2014) e doutorado-sanduíche na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS-Paris), França (2015-2016); foi pesquisador livre nas bibliotecas da Universidade de Tsukuba, Japão, e no Deutsches Historisches Institut Paris, França. No mestrado, estudou a teoria da história de Walter Benjamin em conexão com sua filosofia da linguagem e da tradução. No doutorado, investigou o conceito de passado a partir das obras de Martin Heidegger, Sigmund Freud e Walter Benjamin, tendo como ponto de partida a reviravolta operada pelos três pensadores em relação à tradição ontológica sobre a ideia de tempo. Atua em Teoria e filosofia da História, História das Ideias e dos conceitos, Estudos Europeus e Interculturais. Interessa-se por ontologia (conceito de passado), epistemologia (representação do passado), teorias da linguagem e tradução, hermenêutica e fenomenologia (ideia de tempo), historiografia moderna (o problema do historicismo), Shoah (memória e história), filosofia antiga, pensamento japonês (Escola de Kyoto), pensamento judaico e árabe. É membro da Sociedade Brasileira de Teoria e História da Historiografia (SBTHH) e faz parte da International Network for Theory of History (INTH). É membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Teóricos (NIET) e do Laboratório de Teoria da História e História da Historiografia (LETHIS). Editor executivo da Revista de Teoria da História (UFG). Atua como professor e pesquisador (pós-doutorando) do PPGH-UFES.

Josias Freire, IFB-DF

Possui graduação (2008), mestrado (2010) e doutorado em História pela Universidade Federal de Goiás (2015). Atualmente é professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB). Tem experiência na área de História, com ênfase em teoria da história, atuando principalmente nos seguintes temas: história, teoria da história e ensino de história.

Marcello Felisberto Morais Assunção, USP

Possuí graduação, mestrado e doutorado em história pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Pós-Doutorando em Letras FAPESP-USP (2017). Foi pesquisador visitante no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (2015). Analista de pesquisa da Comissão Nacional da Verdade e PNUD-Brasil (2014). Tem experiência na área de História, com ênfase em Estudos Étnico-raciais, História Contemporânea e Teoria da História, atuando principalmente nos seguintes temas: imprensa, intelectuais, história atlântica luso-afro-brasileira, Colonialismos-imperialismo-neo-colonialismo, Estudos Étnico-Raciais, ensino de história e cultura afro-brasileira, Marxismo Clássico e Contemporâneo e Pierre Bourdieu. Foi analista de pesquisa da Comissão Nacional da Verdade entre os meses de Agosto a Dezembro de 2014 (http://cnv.memoriasreveladas.gov.br/institucional-acesso-informacao/equipe.html). Pertence desde 2014 ao grupo de pesquisa "Portugal e Brasil no mundo contemporâneo: identidade e memória" (CNPQ: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2599879888501045). Editor executivo do periódico Revista de Teoria da História (RTH). Membro de grupos sobre o estudo da imprensa, a saber: "Pensando Goa: Uma peculiar biblioteca em língua portuguesa" (USP-FAPESP http://goa.fflch.usp.br/), "Imprensa e circulação de ideias: o papel dos periódicos nos séculos XIX e XX" (Fundação Casa Rui Barbosa http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9541541718955541)" e "Grupo Internacional de Estudos da Imprensa Periódica Colonial do Império Português (Universidade Nova de Lisboa https://giepcippt.wordpress.com/participantes/)". Também e membro de grupos em teoria e historiografia: Teoria da História e Historia da Historiografia no Brasil (http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/203500?fbclid=IwAR3Hg56dOOeLV4Mc5gvex0FxXRyowtWPvK59Fgo0mOSlLBnJrzRUAhHritg) e GT Teoria da História e História da Historiografia (https://anpuh.org.br/index.php/grupos-de-trabalho/atividades/item/5429-gt-teoria-da-historia-e-historia-da-historiografia). Realizou pesquisa de campo em Goa (Índia) durante os meses de junho a julho de 2018 e janeiro a fevereiro de 2019 e 2020.

Referências

BOLLE, Willi. Apresentação. In: BENJAMIN, Walter. Documentos de cultura, documentos de barbárie. São Paulo: Cultrix, 1986, pgs. 9-14.

____________.Fisiognomia da metrópole moderna. Representação da história em Walter Benjamin. São Paulo: EdUSP, 1994.

____________. Grandesertão.br –O romance de formação do Brasil. São Paulo: Duas Cidades-Editora 32, 2004.

____________.“Um painel com milhares de lâmpadas”: Metrópole & Megacidade. In: BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte-São Paulo: EdUFMG-Imprensa Oficial, 2006, pgs. 1141-1167.

____________.Paris on the Amazon? Postcolonial interrogations of Benjamin’s European modernism. In: GOEBEL, Rolf J. A companion to the works of Walter Benjamin. New York: CAMDEN House, 2009.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire: Um lírico no auge do capitalismo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

DAVIS, Mike. Planeta favela. São Paulo: Boitempo Editorial, 2006.

Downloads

Publicado

2018-12-28

Como Citar

LEITE, A. B. de C. D.; FREIRE, J.; ASSUNÇÃO, M. F. M. HISTÓRIA E LITERATURA: ENTREVISTA COM WILLI BOLLE. rth |, Goiânia, v. 20, n. 2, p. 253–265, 2018. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/56652. Acesso em: 4 out. 2022.