UMA ÉPOCA DE GRANDEZA: IDADE MÉDIA, DECADÊNCIA E REGENERAÇÃO NA HISTORIOGRAFIA PORTUGUESA (1842-1942)

Autores

  • Pedro Alexandre Guerreiro Martins FCSH/Nova de Lisboa

Palavras-chave:

Idade Mwdia, medievalismo, Romantismo, decadência, historiografia

Resumo

Largamente menosprezada como um período de declínio civilizacional durante a Época Moderna, a Idade Média foi em grande medida reabilitada pelo Romantismo. Em Portugal, autores como Alexandre Herculano representaram o período medieval como uma época de progresso e grandeza capaz de inspirar uma nação considerada decadente.

É o objetivo deste artigo fazer um balanço da historiografia portuguesa sobre a Idade Média no período entre 1842 e 1942 à luz dos debates sobre a decadência nacional. Para tal, faremos uso dos trabalhos de autores de diferentes escolas historiográficas e campos ideológicos que representaram o período medieval numa perspetiva positiva, contrastando com uma Modernidade marcada pelo declínio moral e material da nação. Demonstraremos assim como uma visão romântica da história persistiu na cultura portuguesa até muito depois do período normalmente associado ao Romantismo, influenciando várias tentativas de regeneração nacional.

Biografia do Autor

Pedro Alexandre Guerreiro Martins, FCSH/Nova de Lisboa

Pedro Alexandre Guerreiro Martins is a researcher of the Instituto de História Contemporânea – Universidade Nova de Lisboa. Graduated in History at the Faculdade de Ciências Sociais e Humanas of Universidade Nova de Lisboa, he concluded his master’s degree in Modern and Contemporary History at the same institution with a dissertation on the history of Portuguese seaside tourism. In 2016, he completed a joint doctorate with the University of Lucerne (Switzerland) with a dissertation on Portuguese medievalism between the late nineteenth and the early twentieth century. He is currently working on a thesaurus of the Portuguese Cinema Archives (ANIM). He is also a member of the editorial board of Práticas da História: Journal on Theory, Historiography and Uses of the Past.

Referências

AGRAWAL, R. R. The Medieval Revival and Its Influence on the Romantic Movement. New Delhi: Abhinav Publications, 1990.

Alexandre Herculano. Ciclo de conferências comemorativas do I centenário da sua morte. 1877-1977. Porto: Biblioteca Pública Municipal do Porto – Gabinete de História da Cidade, 1979.

AMEAL, João. Uma notável obra de cultura. São Tomás de Aquino mestre da idade nova. A Voz, Lisboa, n.3898, p.1-2, 30 Dez. 1937.

AMEAL, João. História de Portugal. Porto: Livraria Tavares Martins, 1940.

ARCHER, Paulo. Sobre a visão patrimonial de Herculano em Monumentos Pátrios. Tomar: Terra de Linho, 2003.

BRAGA, Luís de Almeida. O Culto da Tradição. Coimbra: F. França Amado, 1916.

BRAGA, Paulo Drumond. D. Afonso Henriques na História de Portugal de Alexandre Herculano. In 2º Congresso histórico de Guimarães. Actas do congresso, v.3. Guimarães: Câmara Municipal/ Universidade do Minho, 1996. p.269-276.

BRAGA, Teófilo. Historia do Direito Portuguez. Os Foraes. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1868.

BRAGA, Teófilo. Historia da Litteratura Portugueza. Introducção. Porto: Imprensa Portugueza Editora, 1870.

BRAGA, Teófilo. Epopêas da raça mosárabe. Porto: Imprensa Portugueza Editora, 1871.

BRANCO, João Pedro. O municipalismo no pensamento de Alexandre Herculano (1834- 1859). 2007. 133 f. Tese (Mestrado em Cultura e Formação Autárquica) – Universidade de Lisboa.

BUESCU, Ana Isabel. O Milagre de Ourique e a História de Portugal de Herculano. Uma Polémica Oitocentista. Lisboa: INIC, 1987.

BURKE, Peter. Tradition and Experience: The Idea of Decline from Bruni to Gibbon. Daedalus 105, n. 3, p.137-152. 1976.

CALAFATE, Pedro. Introdução. In ______ (org.). Portugal como Problema. Lisboa: Fundação Luso-Americana/ Público, 2006. v.3. p. 13-16.

(cont.)...

Downloads

Publicado

27-07-2017

Como Citar

Martins, P. A. G. (2017). UMA ÉPOCA DE GRANDEZA: IDADE MÉDIA, DECADÊNCIA E REGENERAÇÃO NA HISTORIOGRAFIA PORTUGUESA (1842-1942). Rth |, 17(1), 30–69. Recuperado de https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/48006

Edição

Seção

Cartografias da História da Historiografia portuguesa