LIVRO DIDÁTICO COMO DOCUMENTO HISTÓRICO: POSSIBILIDADES, QUESTÕES E LIMITES DE ABORDAGEM

Autores

  • Jeferson Rodrigo da Silva Mestrando em História Social pela UEL.

Palavras-chave:

História da leitura, Livro didático, Práticas de leitura, Complexidade, História e ensino.

Resumo

Pressupondo que os livros didáticos devem ser pensados como objetos culturais complexos, este texto apresenta uma proposta teórico-metodológica, fundamentada na história da leitura, que compreende o livro didático como um documento histórico. Neste sentido, apresentamos quatro abordagens possíveis para a análise que objetiva o estudo dos manuais no que se refere à criação, à produção editorial, à comercialização, à circulação, à apropriação, à utilização e à leitura(s). Estas quatro abordagens permitemrefletir sobre: o livro como objeto de múltiplas leituras; o autodidatismo e a censura; as pesquisas ligadas à história do livro didático e a dimensão mercadológica. Apresentando cada uma delas, são abordadas as possibilidades de análises, as questões possíveis e os limites que esse tipo de análise do livro didático pode apresentar ao pesquisador. Ao final, conclui-se que a proposta é pertinente para entender a complexidade do livro didático quando este é entendido como um documento histórico.

Downloads

Como Citar

SILVA, J. R. da. LIVRO DIDÁTICO COMO DOCUMENTO HISTÓRICO: POSSIBILIDADES, QUESTÕES E LIMITES DE ABORDAGEM. Revista de Teoria da História, Goiânia, v. 5, n. 1, p. 177–197, 2014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/28966. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos livres