Sobre a natureza dos nomes próprios toponímicos

Autores

  • Maria Célia Dias de Castro
  • Maria Suelí de Aguiar

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v21i2.9165

Resumo

Neste trabalho, partimos da teoria clássica sobre a natureza dos nomes e procuramos discorrer historiograficamente acerca dos pensamentos filosóficos que iniciaram esses estudos, desde os platônicos, na obra “Crátilo”, passando pela discussão de Whitney até os sempre atuais estudos de Saussure, autores que discutem se os nomes são formados por motivação natural (Physei) ou por convenção (Thesei). Relacionamos essa discussão aos nomes toponímicos dos municípios do Estado do Maranhão, em que procuramos inter-relacionar a influência da estrutura formal do signo linguístico com o objeto que ele representa no processo de nomeação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-03-23

Como Citar

CASTRO, M. C. D. de; AGUIAR, M. S. de. Sobre a natureza dos nomes próprios toponímicos. Signótica, Goiânia, v. 21, n. 2, p. 391–416, 2010. DOI: 10.5216/sig.v21i2.9165. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/9165. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigo