A (des)ordem no sertão: violência e sobrevivência em Grande sertão: veredas

Autores

  • Regina Crispim e Rogério Santana

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v21i1.8625

Resumo

Este artigo analisa dois episódios do romance Grande sertão: veredas, de João
Guimarães Rosa: o julgamento de Zé Bebelo e o pacto feito por Riobaldo.
No primeiro, examina-se a peculiar organização da sociedade formada no
sertão pelos coronéis e jagunços; no segundo, amplia-se a noção de pacto para
além do simbólico trato com o diabo, mostrando seus desdobramentos como
estratégias de sobrevivência num meio em que a aparente desordem se revela
a essência de uma ordem forjada e mantida pela violência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-01-08

Como Citar

ROGÉRIO SANTANA, R. C. e. A (des)ordem no sertão: violência e sobrevivência em Grande sertão: veredas. Signótica, Goiânia, v. 21, n. 1, p. 187–204, 2010. DOI: 10.5216/sig.v21i1.8625. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/8625. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo