Um estudo estatístico sobre as oxítonas no português

Autores

  • Ana Lívia dos Santos Agostinho
  • Gabriel Antunes de Araújo

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v19i2.7466

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar um estudo estatístico sobre as palavras com acento final (ou oxítonas) no português. Baseado em um corpus de 10.494 palavras (ou seja, todas as palavras nominais oxítonas) do Dicionário Houaiss e suas respectivas transcrições fonéticas, mostraremos que a maioria das palavras oxítonas do português é formada por empréstimos lexicais. Ainda que o latim, o “tupi”, o francês, o árabe e o iorubá tenham sido as principais fontes dos empréstimos, o português pegou emprestadas palavras de mais de cem línguas diferentes. Também discutiremos a qualidade do elemento final da oxítona (se vogal, glide ou consoante) e a freqüência geral destas palavras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-09-17

Como Citar

AGOSTINHO, A. L. dos S.; ARAÚJO, G. A. de. Um estudo estatístico sobre as oxítonas no português. Signótica, Goiânia, v. 19, n. 2, p. 177–208, 2009. DOI: 10.5216/sig.v19i2.7466. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/7466. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo