Estilhaçando a máscara do silenciamento: a potente literatura negra de Conceição Evaristo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v35.74432

Palavras-chave:

Literatura negra, Cânone literário, Conceição Evaristo

Resumo

Neste artigo, tem-se como objetivo refletir sobre a formação do cânone literário brasileiro e discutir sobre o conceito de literatura negra tendo em vista a obra da escritora negra brasileira Conceição Evaristo. O cânone está cercado de uma bolha de a-historicidade, porém, sua formação está diretamente ligada à estrutura da sociedade do país (REIS, 1992), que é racista, classista e cis-heterossexista. Assim, percebe-se que este é composto principalmente por homens brancos. Nesse sentido, a literatura negra estilhaça a máscara do silenciamento, uma vez que rompe com a ótica colonizadora tida sobre o povo negro por meio da produção literária. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorrany Andrade da Cruz Dourado, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO

Mestra em Estudos Literários pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Flávio Pereira Camargo, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO

Professor na Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. Disponível em: https://lelivros.love/book/baixar-livro-o-perigo-de-uma-historia-unica-chimamanda-ngozi-adichie-em-pdf-epub-mobi-ou-ler-online. Acesso em: 26 maio 2021.

AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. São Paulo: Sueli Carneiro: Pólen, 2019. ALMEIDA, Silvio. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro: Editora Jandaíra, 2020.

ALMEIDA, Silvio. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro: Editora Jandaíra, 2020.

BERND, Zila. Literatura Negra. In: JOBIM, José Luiz (org.). Palavras da crítica. Tendências e conceitos no estudo da Literatura. Rio de Janeiro: Imago, 1992. p. 267-275.

BRITO, Maria da Conceição Evaristo. Literatura negra: Uma poética de nossa afro-brasilidade. 1996. Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira) – Departamento de Letras, Pontifício Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996.

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A construção do Outro como Não-ser como fundamento do Ser. 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

COSER, Stelamaris. Circuitos transnacionais, entrelaçamentos diaspóricos. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria do Rosário (org). Escrevivências: identidade, gênero e violência na obra de Conceição Evaristo. 1. ed. Belo Horizonte: Idea, 2018. p. 15-29.

CUTI, Luiz Silva. Literatura negro-brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010.

DALCASTAGNÈ, Regina. Uma voz ao sol: representação e legitimidade na narrativa brasileira contemporânea. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, DF, n. 20, p. 33-77, 2002. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/9705. Acesso em: 20 maio 2021.

DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria do Rosário. Voz(es) da escrevivência. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria do Rosário (org). Escrevivências: identidade, gênero e violência na obra de Conceição Evaristo. 1. ed. Belo Horizonte: Idea, 2018. p. 9-12.

DUARTE, Eduardo Assis de. Escrevivência, Quilombismo e a tradição escrita afrodiaspórica. In: DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado; LOPES, Goya (org.). Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020. p. 74-94.

DUARTE, Eduardo de Assis. Literatura afro-brasileira: um conceito em construção. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, DF, n. 31, p. 11-23, jan./jun. 2008. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/231171186.pdf. Acesso em: 20 maio 2021.

EVARISTO, Conceição. Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2. sem. 2009. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/viewFile/4365/4510. Acesso em: 16 jul. 2019.

EVARISTO, Conceição. Olhos d’água. 1. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2016.

EVARISTO, Conceição. Poemas da recordação e outros movimentos. 5. ed. Rio de Janeiro: Malê, 2017a.

EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. 1. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2017b.

EVARISTO, Conceição. A Escrevivência e seus subtextos. In: DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado; LOPES, Goya (org.) Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020.

GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2017.

REIS, Roberto. Cânon. In: JOBIM, José Luiz (org.). Palavras da crítica. Tendências e conceitos no estudo da Literatura. Rio de Janeiro: Imago, 1992. p. 65-92.

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro? São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

RIBEIRO, Djamila. Lugar de fala. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

SCHMIDT, Rita Terezinha. Na literatura, mulheres que reescrevem a nação. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.). Pensamento feminista brasileiro: formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2019. p. 71-88. Disponível em: https://docero.com.br/doc/nscc0s5. Acesso em: 26 maio 2021.

Downloads

Publicado

2023-05-12

Como Citar

DOURADO, L. A. da C.; CAMARGO, F. P. Estilhaçando a máscara do silenciamento: a potente literatura negra de Conceição Evaristo. Signótica, Goiânia, v. 35, p. e74432, 2023. DOI: 10.5216/sig.v35.74432. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/74432. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Estudos Literários