Sobre mediação semiótica: as condições corporais da comunicação humana e mais-que-humana

Uma entrevista com Elizabeth Povinelli

Autores

  • Elizabeth A. Povinelli Columbia University, Nova York, NY, EUA Membro da Academia Australiana de Humanidades; Karrabing Film Collective www.karrabing.info E-mail: ep2122@columbia.edu.
  • Joana Plaza Pinto Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás. Pesquisadora Bolsista de Produtividade em Pesquisa CNPq. E-mail: joplazapinto@ufg.br https://orcid.org/0000-0001-8052-9390

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v34.74018

Palavras-chave:

Semiótica, Subjetividade, Metapragmática, Liberalismo

Resumo

Durante o primeiro semestre de 2022 na Columbia University, Joana Plaza Pinto frequentou dois cursos de pós-graduação de Elizabeth A. Povinelli, Professora da cadeira Franz Boas de Antropologia e de Estudos de Gênero, Semiótica 2 e Teoria Feminista. Sob a influência desses cursos, esta entrevista é uma de suas múltiplas conversas em torno da relação entre gênero, intimidade e linguagem. Sobre a mediação semiótica, Povinelli falou da sua conexão com a Antropologia Linguística, a Psicanálise e a Semiótica peirceana, as condições corporais da comunicação humana e mais que humana, as forças subjetivantes das metapragmáticas das línguas, as condições semióticas do sujeito e a terra, e as conexões desses temas com as formas colonialistas racistas no Liberalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

COULTHARD, Glen Sean. Red Skin, White Masks: Rejecting the Colonial Politics of Recognition. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2014.

MORETON-ROBINSON, Aileen. The White Possessive: Property, Power, and Indigenous Sovereignty. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2015.

PEIRCE, Charles S. Logical Tracts. No. 2. On Existential Graphs, Euler’s Diagrams, and Logical Algebra. MS [R], 1903.

POVINELLI, Elizabeth A. Between Gaia and Ground: Fours axioms of existence and the ancestral catastrophe of Late Liberalism. Durham: Duke University Press, 2021.

POVINELLI, Elizabeth A. Do Rocks Listen? The cultural politics of apprehending Australian aboriginal labor. American Anthropologist, v. 97, n. 3, p. 505-518, 1995.

POVINELLI, Elizabeth A. Geontologies: A requiem to late liberalism. Durham: Duke University Press, 2016.

POVINELLI, Elizabeth A. The cunning of recognition: Indigenous alterities and the making of Australian multiculturalism. Durham: Duke University Press, 2007.

POVINELLI, Elizabeth A.; EDMUNDS, Rex. A Conversation at Bamayak and Mabaluk, Part of the Coastal Lands of the Emmiyengal People. L’Internationale Online, 2 out. 2019. Disponível em: <https://www.internationaleonline.org/research/decolonising_practices/119_a_conversation_at_bamayak_and_mabaluk_part_of_the_coastal_lands_of_the_emmiyengal_people/>.

SILVERSTEIN, Michael. The improvisational performance of culture in realtime discursive practice. In: SAWAYER, R. K. (ed). Creativity in Performance. Greenwich, CT: Ablex, 1997. p. 265-312.

STJERNFELT, Frederik. Diagrams as Centerpiece of a Peircean Epistemology. Transactions of the Charles S. Peirce Society, v. 36, n. 3, p. 367-384, 2000.

Publicado

2022-09-29

Como Citar

POVINELLI, E. A.; PINTO, J. P. Sobre mediação semiótica: as condições corporais da comunicação humana e mais-que-humana: Uma entrevista com Elizabeth Povinelli. Signótica, Goiânia, v. 34, 2022. DOI: 10.5216/sig.v34.74018. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/74018. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Entrevista