Como manda o figurino: João do Rio e o cosmopolitismo brasileiro na virada do século

Autores

  • Ângela Freire Prysthon

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v9i1.7389

Resumo

Este ensaio aborda a cultura urbana do início do século XX no Brasil, através da apresentação de um emblema desta época no país: a obra do jornalista, contista e dramaturgo Paulo Barreto, o João do Rio. A partir de uma introdução geral sobre a modernização no Rio de Janeiro nos anos 1901-1914, da definição do cosmopolitismo como dominante cultural da época e da análise das relações da técnica com a literatura, vai-se compondo o retrato de uma das figuras mais exemplares e polêmicas do pré-modemismo a partir do conceito de cosmopolitismo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-09-11

Como Citar

PRYSTHON, Ângela F. Como manda o figurino: João do Rio e o cosmopolitismo brasileiro na virada do século. Signótica, Goiânia, v. 9, n. 1, p. 21–32, 2009. DOI: 10.5216/sig.v9i1.7389. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/7389. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigo