Propriedades coesivas e semânticopragmáticas do conector complexo por isso no português brasileiro contemporâneo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v34.72812

Palavras-chave:

Conector complexo por isso. Propriedades semântico-pragmáticas. Propriedades coesivas. Linguística Funcional Centrada no Uso. Linguística Textual.

Resumo

Neste artigo, descrevemos as propriedades coesivas e semântico-pragmáticas do conector complexo por isso no português brasileiro contemporâneo. Para esse fim, analisamos 100 dados de uso do Corpus do Português (base Now) à luz dos pressupostos teóricos da Linguística Funcional Centrada no Uso e da Linguística Textual. Nossos resultados apontam que o referido conector apresenta três aspectos particulares que não constam dos compêndios gramaticais: i) assume três valores semânticos distintos no domínio da causalidade; ii) possui propriedades coesivas tanto sequenciais quanto referenciais; iii) articula orações, períodos e parágrafos, com diferenças quanto ao escopo remissivo nesses três níveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEREDO, José Carlos. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2014.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.

BYBEE, Joan. Language, Usage and Cognition. New York: Oxford University Press, 2010.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de. Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

CONTE, Maria-Elisabeth. Encapsulamento anafórico. In: CAVALCANTE, Mônica; RODRIGUES, Bernadette (org.). Referenciação. Clássicos da Linguística. V. 1. São Paulo: Contexto, 2003. p. 177-190.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. São Paulo: Nova Fronteira, 2001.

CUNHA LACERDA, Patrícia Fabiane Amaral. O papel do método misto na análise de processos de mudança em uma abordagem construcional: reflexões e propostas. Revista Linguística/Revista do Programa de PósGraduação em Linguística da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Volume Especial, [s. n.], p. 83-101, 2016.

DU BOIS, John. Competing Motivations. In: HAIMAN, John (ed.). Iconicity in Syntax. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 1985. p. 343-365.

FÁVERO, Leonor Lopes. Coesão e coerência textuais. São Paulo: Ática, 2004.

FURTADO DA CUNHA, Maria Angélica et al. Linguística Funcional Centrada no Uso: conceitos básicos e categorias analíticas. In: CEZARIO, Maria Maura; FURTADO DA CUNHA, Maria Angélica (org.). Linguística centrada no uso: uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad-Faperj, 2013. p. 13.39.

GRICE, Herbert Paul. Logic and Conversation. In: COLE, Peter; MORGAN, Jerry (ed.). Syntax and Semantics. New York: Academic Press, 1975. p. 41-58.

HALLIDAY, Michael. An introduction to Functional Grammar. ed. 3. London: Hodder Arnold, 2004.

HASELOW, A. A processual view on grammar: Macrogrammar and the final field in spoken syntax. Language Sciences, [s. l.], v. 54, [s. n.], p. 375- 424, 2016.

KOCH, Ingedore Grunfield Villaça. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 2003.

KURY, Adriano da Gama. Novas lições de análise sintática. São Paulo: Ática, 2000.

LIMA, Carlos Henrique da Rocha. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

LOPES, Monclar Guimarães. Encapsulamentos Semânticos em Perspectiva Discursivo-Funcional. Orientador: Vanda Maria Cardozo de Menezes. 2010. Dissertação (Mestrado). 219 folhas. Mestrado em Língua Portuguesa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2010.

LOPES, Monclar Guimarães; SILVA, Simone Josefa. Propriedades coesivas e semânticas da construção complexa [com isso] à luz da linguística funcional centrada no uso. Revista Confluência, Liceu Literário Português, Rio de Janeiro, n. 62, [s.v.], p. 240-269, 2022.

LOPES, Monclar Guimarães; MOURA, Samara Costa. As construções conectoras [com isso] e [como se não bastasse (x)] na promoção da coesão híbrida. Revista Soletras, UERJ, Rio de Janeiro, [s. v.], n. 41, p. 189- 215, 2021.

MARCHUSCHI, Luiz Antonio. Linguística de Texto: o que é, como se faz. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 1983.

MARQUES, Norma Barbosa Novaes; PEZATTI, Erotilde Goreti. A relação conclusiva na língua portuguesa: funções resumo, conclusão e consequência. São Paulo: Editora UNESP, 2015.

MONDADA, Lorenza; DUBOIS, Danièle. Construção dos objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. In: CAVALCANTE, Mônica; RODRIGUES, Bernadete. Referenciação. Clássicos da Linguística. v. 1. São Paulo: Contexto, 2003, p. 17-52.

OLIVEIRA, Mariangela Rios; ROSÁRIO, Ivo da Costa do. Funcionalismo e abordagem construcional da gramática. Revista Alfa, Unesp, São José do Rio Preto, n. 60, v. 2, p. 233-259, 2016.

RAPOSO, Eduardo Buzaglo Paiva et al. Gramática do Português. v. 1. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2015.

ROSÁRIO, Ivo da Costa; SAMBRANA, Vania Rosana Mattos. Análise funcional da construção conectora contrastiva “mas olha”. Revista Soletras, UERJ, Rio de Janeiro, [s. v.], n. 41, p. 216-234, 2021.

SEARLE, John. A Classification of Illocutionary Acts. Language in Society, New York, v. 5, n. 1, p. 1-23, apr. 1976.

SWEETSER, Eve. From Etymology to Pragmatics. Metaphorical and Cultural Aspects of Semantic Structure. Peking: Peking University Press, 1990.

TRAUGOTT, Elizabeth Closs; TROUSDALE, Graeme. Constructionalization and Constructional Changes. New York: Oxford University Press, 2013.

Downloads

Publicado

2022-11-01

Como Citar

LOPES, M. G.; RABELLO, M. L. Propriedades coesivas e semânticopragmáticas do conector complexo por isso no português brasileiro contemporâneo. Signótica, Goiânia, v. 34, 2022. DOI: 10.5216/sig.v34.72812. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/72812. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos