Errata: A memória des-figurada de Walter Benjamin

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v32.64316

Palavras-chave:

Walter Benjamin

Resumo

Este artigo propõe uma análise de Walter Benjamin a partir de seus escritos supostamente autobiográficos, Infância berlinense: 1900 e Crônica berlinense, a partir de uma imagem que Freud nos coloca: a do arqueólogo, ou, aquele que escava as memórias. Assim, esse arqueólogo do instante se apresenta pela e na des-figuração de uma linguagem que já surge menos como meio de transmissão da comunicação do que como espaço onde seus sonhos e devaneios se revelam. Por fim, a potência dos Denkbilder benjaminianos se mostra como sintoma de uma modernidade sem norte e como falsa promessa da história da racionalidade e do progresso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARRENTO, João. Limiares sobre Walter Benjamin. Florianópolis: Editora UFSC, 2013.
BENJAMIN, Walter. A imagem de Proust. In: BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. Tradução Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1996.
BENJAMIN, Walter. Passagens. Tradução Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Ed. UFMG, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.
BENJAMIN, Walter. Rua de mão única. Infância Berlinense: 1900. Tradução João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.
BENJAMIN, Walter. Sobre alguns motivos na obra de Baudelaire. In: BENJAMIN, Walter. Baudelaire e a modernidade. Tradução João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.
BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: BENJAMIN, Walter. O anjo da história. Tradução João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.
BENJAMIN, Walter. Escavar e recordar. In: BENJAMIN, Walter. Imagens de pensamento. Sobre o haxixe e outras drogas. Tradução João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.
DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. Tradução Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 1998.
FREUD, Sigmund. O delírio e os sonhos na Gradiva. In: FREUD, Sigmund. Obras completas. Tradução Paulo Cézar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, v.8, 2015.
JAY, Martin. A imaginação dialética. História da Escola de Frankfurt e do Instituto de Pesquisas Sociais. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.
TIEDEMANN, Rolf. Studien zur Philosophie Walter Benjamins. Frankfurt: Suhrkamp, 1973.
WEIGEL, Sigrid. Entstellte Ähnlichkeit. Walter Benjamins theoretische Schreibweise. Frankfurt: Fischer, 1997.
WERNER, Nadine. Archäologie des Erinnerns. Sigmund Freund in Walter Benjamins Berliner Kindheit. Göttingen: Wallstein, 2015.

Downloads

Publicado

2020-07-07

Como Citar

RIBEIRO, H. J. . Errata: A memória des-figurada de Walter Benjamin. Signótica, Goiânia, v. 32, 2020. DOI: 10.5216/sig.v32.64316. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/64316. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos Literários