Aspectos da categorização de nome e verbo em Libras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v32.60885

Palavras-chave:

Palavras-chave: Contexto Sintático. Libras. Nome. Verbo.

Resumo

Objetivando caracterizar nome e verbo em Libras, fundamentados na Teoria Gerativa e em proposta de estrutura articulatória do sinal (LESSA-DE-OLIVEIRA, 2012, 2019), investigamos essas categorias, hipotetizando que, em Libras, marcam-se nomes e verbos apenas sintaticamente. Analisamos corpus experimental, utilizando, para transcrição e observação morfofonológica, o sistema de escrita de Libras SEL. Os resultados indicam que, em Libras, os sinais em posições nominais ou verbais são morfofonologicamente idênticos. Observamos certas variações fonológicas entre sinais, que não implicam categorização, as quais analisamos como decorrentes de aspecto estilístico ou semântico-pragmático. Concluímos que a categorização nessa língua não é definida morfofonologicamente, mas pela sintaxe.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHOMSKY, Noam. Syntactic Structures. Berlin: Mouton de Gruyter,1957.
__________. Linguagem e mente. Brasília: Universidade de Brasília, 1998.
FERREIRA, Lucinda. Por uma gramática de Línguas de Sinais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2010 [1995].
KATO, Mary. A gramática do letrado: questões para a teoria gramatical. In: MARQUES, Maria Aldina. et al. Ciências da linguagem: trinta anos de investigação e ensino. Braga: Centro de Est. Humanísticos, Universidade do Minho, 2005. 131- 145.
KENEDY, Eduardo. Curso básico de linguística gerativa. São Paulo: Contexto, 2016.
LENNEBERG, Eric. Biological Foundation of Language. New York: Wiley, 1967.
LESSA-DE-OLIVEIRA, Adriana S. C. Libras escrita: o desafio de representar uma língua tridimensional por um sistema de escrita linear. ReVEL, v. 10, n. 19, 2012. [www.revel.inf.br].
________. Componentes articulatórios da Libras e a escrita SEL. Estudos da Língua(gem). Vitória da Conquista, v. 17, n. 2, p. 103-122, abr-jun de 2019.
McCLEARY, Leland & VIOTTI, Evani. Língua e gesto em línguas sinalizadas. In: Veredas
on line – atemática – 1/2011, P. 289-304 – PPG.
MIOTO, Carlos. et al. Novo Manual de Sintaxe. São Paulo: Contexto, 2016.
PIZZIO, Aline. A tipologia linguística e a língua de sinais brasileira: elementos que distinguem nomes de verbos. 2011. 237 p. Tese em Linguística¬¬- UFSC, Florianópolis, 2011.
QUADROS, Ronice & KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.
STOKOE, William. A dictionary of American Sign Language on linguistic principles. Silver Spring. Disponível em: <https://adams.marmot.org/Record/.b17461169.> Acesso em: 16, set 2017.
SUPALLA, Ted & NEWPORT, Elis. How many seats in a chair? The derivation of nouns and verbs in american sign language. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/313223392_Howmany_seats_in_a_chair_The_derivation of nouns and verbs in American Sign Language.> Acesso em: 20, jun 2018.

Downloads

Publicado

2021-03-24

Como Citar

LAVRAS DOS SANTOS SANTANA, E.; LESSA-DE-OLIVEIRA, A. S. C. Aspectos da categorização de nome e verbo em Libras. Signótica, Goiânia, v. 32, 2021. DOI: 10.5216/sig.v32.60885. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/60885. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Linguísticos