A quem se dirigem os oradores no discurso jurídico? O auditório na construção de argumentos de defesa e acusação sobre o assassinato de uma adolescente

  • Maria Cordeiro Sousa Universidade do Estado do Rio Grane do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil.
  • Gilton Sampaio Souza Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil
  • Marília Cavalcante de Freitas Moreira Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil
Palavras-chave: Auditório, Argumentação, Discurso jurídico, Milagres/CE

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a noção de auditório e sua aplicação em discursos jurídicos, com base nas perspectivas teóricas da Nova Retórica (PERELMAN; OLBRECHTS-TYTECA, 2014) e da abordagem dialógica da linguagem (BAKHTIN/VOLOCHINOV, 2012). O corpus é constituído por discursos de acusação e defesa, que são partes constituintes de um processo criminal sobre o assassinato da adolescente Francisca do Socorro, no ano de 1943, na cidade de Milagres/CE. Nos discursos, observamos que os diálogos se efetivam mais direcionados ao auditório social/particular (BAKHTIN/ PERELMAN), pois cada orador apresenta teses, às vezes opostas, direcionadas aos envolvidos no julgamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cordeiro Sousa, Universidade do Estado do Rio Grane do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil.

Doutoranda em Letras (PPGL) pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGE), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Gilton Sampaio Souza, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil

Doutor em Linguística e Língua Portuguesa pela Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Araraquara, Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”. Professor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN); Pau dos Ferros/RN.

Marília Cavalcante de Freitas Moreira, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGE), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Técnica de Nível Superior da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN); Pau dos Ferros/RN.

Referências

ABREU, A. S. A arte de argumentar: gerenciando razão e emoção. 13 ed. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2009.

BARBOSA, M. S. M. F. A heterogeneidade discursiva em revistas de Divulgação Científica. 2008. 184 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da linguagem. Tradução por M. Lahud e Y. F. Vieira. 13. ed. São Paulo: Hucitec, 2012.

BRASIL. Estado do Ceará. República Federativa do Brasil. Museu do Poder Judiciário. Fortaleza: Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, 2013.

FIORIN, J. L. Argumentação. São Paulo: Contexto, 2015.

GRÁCIO, R. A. Consequências da retórica: para uma revalorização do múltiplo e do controverso, Pé de Páginas Editores, 1ed. Coimbra, 1998.

HENRIQUE, A. Argumentação e discurso jurídico. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2013IDE, P. A arte de pensar.Tradução Paulo Neves: revisão da tradução Marina Appenzeller. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

PERELMAN. C.; OLBRESCHTS – TYTECA. L. Tratado de argumentação:a nova retórica. Tradução GALVÃO, M. E. A. P. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

SOUZA, G.S. de O Nordeste na mídia: um (des)encontro de sentidos. 2003. 398 f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) - Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho, Araraquara, 2003.

SOUZA, G. S. de. Argumentação no discurso: questões conceituais. In: FREITAS, Alessandra Cardozo de. et al (Org.). Linguagem, discurso e cultura:múltiplos objetos e abordagens. Pau dos Ferros: Queima Bucha, 2008. p. 57-74.

SOUSA, M. S. C. de.A Argumentação no Ensino de Português: da produção à análise de artigos de opinião sobre o “caso Francisca do Socorro” em Milagres/CE. 2017. 147 f. Dissertação (Mestrado em Ensino) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Pau dos Ferros, 2017.

SOUZA, G.S. de; BESSA, J. C. R. O professor de Letras e o seu discurso: a constituição do ethos de professores do ensino superior. Revista Letra Magna, Ano 5, n. 10, 2009.

SOUZA, G.S. de; BESSA, J. C. R. A produção textual no ensino superior:análise de processos argumentativos em justificativas de monografias de graduação. Revista Veredas, v. 2, n. 15, 2011.

SOUZA, G.S. de; COSTA, R. L.; BARBOSA JUNIOR, F. F. A argumentação em discursos sobre o ensino superior na UERN: sentidos que constituem o Campus de Pau dos Ferros.EID&A - Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação, v. 2, p. 63-75, 2012.

SOUZA, G.S. de et al. Educação como espaço de superação de “indiferença e discriminação social”: argumentação e identidades em depoimento de uma professora universitária. Identidade, v. 21, n 1, p. 80-90, 2016.

SOUSA. M.S.C. de ; SOUZA. G.S. de. Processos argumentativos em depoimentos sobre “a cruz da menina” em Milagres Ceará. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE DISCURSO E ARGUMENTAÇÃO – SEDIAR. 3. 2016: São Cristóvão. Anais... Ilhéus: Editus – Editora da Universidade Estadual de Santa Cruz, 2016, p. 1824-1834.

SOUZA. G.S. de; SOUZA. G.S. de; MOREIRA.M.C.F. de. O assassinato de Francisca do Socorro em discursos e argumentos da população civil de Milagres/CE e do acusado pelo crime. Macabéa – Revista Eletrônica do Netlli, Crato, v. 7, n. 1, p. 107-126, jan./jun. 2018.

SOUZA. G.S. de; SOUZA. G.S. de. Argumentação e Ensino da Produção de textos articulado à cultura local: uma proposta com a temática da “cruz da menina” de Milagres/CE. In. SILVA, Francisco Vieira de. et al (Org.). Teorias linguísticas em contextos de ensino: diversas abordagens, múltiplos objetos.São Carlos. Pedro e João Editores, 2018. p. 117-142.

TULLIO, C. M. Gêneros Textuais Jurídicos, Petição Inicial, Contestação e Sentença: Um olhar sobre o léxico forense. 2012. 678 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

VOLOCHINOV, V.N. A construção da enunciação e outros ensaios. Organização, Tradução e notas de João Wanderley Geraldi. São Carlos: Pedro e João Editores, 2013.

Publicado
05-07-2019
Como Citar
Sousa, M., Souza, G., & Moreira, M. (2019). A quem se dirigem os oradores no discurso jurídico? O auditório na construção de argumentos de defesa e acusação sobre o assassinato de uma adolescente. Signótica, 31. https://doi.org/10.5216/sig.v31.50567
Seção
Estudos Linguísticos