Uma proposta de estrutura interna para os pronomes pessoais no português brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v29i2.41134

Palavras-chave:

Sistema pronominal. Sincretismo. Concordância. Subespecificação.

Resumo

Este artigo discute como o uso abrangente das formas pronominais no português brasileiro é licenciada por sua composicionalidade interna. A partir de um modelo minimalista de gramática (CHOMSKY, 1995, 1998, 1999), é adotada uma teoria de traços enriquecidos (BÉJAR, 2003; CARVALHO, 2008, 2010), desenvolvida com base na noção de acarretamento e subespecificação de traços, com a finalidade de compor tais pronomes. Esta proposta pretende lançar luz sobre o problema da concordância entre elementos que apresentam diferenças entre si com relação a seu conjunto de traços (pessoa, número e gênero). Esta abordagem leva a uma descrição mais clara acerca do sincretismo das formas pronominais pessoais em português brasileiro a partir de sua estrutura interna, o que simplifica consideravelmente a descrição das operações de concordância nesta língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danniel Carvalho, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Professor de Linguística e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura da Universidade Federal da Bahia

Downloads

Publicado

2017-08-30

Como Citar

CARVALHO, D. Uma proposta de estrutura interna para os pronomes pessoais no português brasileiro. Signótica, Goiânia, v. 29, n. 2, p. 455–481, 2017. DOI: 10.5216/sig.v29i2.41134. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/41134. Acesso em: 20 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo