A gramaticalização do até

Autores

  • Leosmar Aparecido Silva

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v0i0.3646

Resumo

Partindo de aspectos semânticos, sintáticos, fonológicos, pragmáticos e discursivos foram analisados, nos dados de fala coletados na cidade de Goiás, vários usos de até. Neste artigo são apresentados, especialmente os aspectos relativos às funções semânticas desses usos. Serviram-me de arcabouço teórico alguns princípios funcionalistas e a teoria da gramaticalização. Segundo essa
teoria, as construções lexicais ou menos gramaticais das línguas passam a exercer, em determinados contextos, funções mais gramaticais e também discursivas. Em relação ao até, foi possível perceber um contínuo de gramaticalização, que vai de preposição para advérbio, de conjunção a operador de contra-expectativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-04-01

Como Citar

SILVA, L. A. A gramaticalização do até. Signótica, Goiânia, p. 181–188, 2008. DOI: 10.5216/sig.v0i0.3646. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/3646. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo