Dos primeiros versos às últimas linhas: Mário de Andrade na trajetória literária de Pedro Nava

Autores

  • Júlio de Souza Valle Neto Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, SP

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v28i1.34109

Palavras-chave:

Pedro Nava, Mário de Andrade, Modernismo brasileiro

Resumo

Este artigo discute a importância de Mário de Andrade na formação literária de Pedro Nava. Para isso, aborda uma carta de Mário, escrita em 1925, na qual encoraja Nava a privilegiar, em vários sentidos, a diversidade de referências linguísticas brasileiras. Inicialmente bastante preso ao modelo mariodeandradino, Nava irá adotar, cerca de 50 anos depois, uma prática ampliada dessa concepção em suas Memórias. Esse considerável intervalo temporal permite rever, ainda, o alcance de alguns pressupostos do modernismo brasileiro, retomados ou mesmo recriados pela prosa de Nava.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio de Souza Valle Neto, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, SP

Júlio Valle é professor do Curso de Letras da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Downloads

Publicado

2016-09-29

Como Citar

DE SOUZA VALLE NETO, J. Dos primeiros versos às últimas linhas: Mário de Andrade na trajetória literária de Pedro Nava. Signótica, Goiânia, v. 28, n. 1, p. 61–80, 2016. DOI: 10.5216/sig.v28i1.34109. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/34109. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo