João Cabral de Melo Neto e as exigências da crítica da segunda metade do século XX

Autores

  • Renato Nésio Suttana Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v27i1.34000

Palavras-chave:

Poesia brasileira, crítica literária, Modernidade, João Cabral de Melo Neto

Resumo

Este artigo trata das relações da obra de João Cabral de Melo Neto com a crítica brasileira da segunda metade do século XX. Considerando que o poeta pernambucano se apresenta como uma das vozes influentes e expressivas da poesia brasileira de seu tempo, a ênfase é transferida para o ambiente da crítica, compreendida numa dupla vertente: a crítica que se escreve sobre o poeta e a crítica que o próprio poeta formulou. Para falar de ambas, são feitas referências ao ambiente de modernidade em que elas se desenvolveram, enfatizando-se a ideia de que as formulações de Cabral acerca da literatura e da arte mantêm compromissos com a construção do moderno no Brasil das últimas décadas do
século. Ao mesmo tempo, tais formulações recebem ecos ou ênfases especiais, no âmbito da interpretação que para elas se voltou, fundando-se uma espécie de tradição que se pretende aqui examinar e interrogar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Nésio Suttana, Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD

Professor adjunto da Faculdade de Comunicação, Artes e Letras da UFGD (Universidade Fe-
deral da Grande Dourados), Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil. E-mail: renatosuttana@
ufgd.edu.br

Downloads

Publicado

2015-12-22

Como Citar

SUTTANA, R. N. João Cabral de Melo Neto e as exigências da crítica da segunda metade do século XX. Signótica, Goiânia, v. 27, n. 1, p. 17–44, 2015. DOI: 10.5216/sig.v27i1.34000. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/34000. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigo