A Gloriosa Família: ironias do colonialismo?

Autores

  • Sérgio Paulo Adolfo Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, Paraná.

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v26i1.32778

Palavras-chave:

romance angolano, história, A gloriosa família, Yaka.

Resumo

Pepetela  tem  sido  um  autor  preocupado,  desde  o  início  de  sua  carreira literária, com as questões históricas que envolvem a formação étnica e cultural de Angola. Suas obras, como A gloriosa família: o tempo dos flamengos e Mayombe e Lueji: o nascimento de um império, têm como enfoque principal a formação histórica do povo angolano e sua relação com o presente do seu país. São narrativas que, usando o veículo do historicismo não oficial, recolocam em seus devidos lugares fatos e feitos de homens deserdados pela historiografia colonial, mas recriados no espaço literário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-11-12

Como Citar

ADOLFO, S. P. A Gloriosa Família: ironias do colonialismo?. Signótica, Goiânia, v. 26, n. 1, p. 119–129, 2014. DOI: 10.5216/sig.v26i1.32778. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/32778. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Seção Temática