Baltasar Lopes, Osvaldo Alcântara e Pasárgada

Autores

  • Alberto Carvalho Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Lisboa.

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v26i1.32774

Palavras-chave:

Cabo Verde, Baltasar Lopes, Osvaldo Alcântara, Claridade, “Suplemento Cultural”, Pasárgada.

Resumo

Neste artigo, analisa-se o papel impulsionador do escritor cabo-verdiano Baltasar Lopes na reativação da revista Claridade em outubro de 1947. Mediante um trabalho comparativo, pautado pela consideração hermenêutica do horizonte histórico em que esse processo se dá, procura-se compreender as relações políticas e existenciais que determinaram a publicação, cerca de seis anos após a sua conclusão, de seu romance Chiquinho. Desse modo, ao se privilegiar os hiatos de publicação e a relação entre os autores com quem dialogava, pretende-se interpretar o modo como é possível identificar, em meio à continuidade, rupturas estéticas fundamentais para a compreensão de sua obra literária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-11-12

Como Citar

CARVALHO, A. Baltasar Lopes, Osvaldo Alcântara e Pasárgada. Signótica, Goiânia, v. 26, n. 1, p. 1–29, 2014. DOI: 10.5216/sig.v26i1.32774. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/32774. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Seção Temática