Políticas linguísticas e língua portuguesa em Macau, China: à guisa de introdução

Autores

  • Roberval Teixeira-e-Silva Universidade de Macau, República Popular da China, Macau
  • Maria Célia Lima-Hernandes Universidade de São Paulo, São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v26iesp..31400

Palavras-chave:

política linguística, língua portuguesa, Macau.

Resumo

Este texto é uma introdução a uma pesquisa que busca entender a complexidade das políticas linguísticas de Macau, especialmente em relação à língua portuguesa. Sublinha-se aqui a constituição geopolítica da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), em termos de sujeitos e línguas que a conformam, e destaca-se um evento político específico – a Declaração Sino-Portuguesa de 1987 – como um marco para a construção de ações para o gerenciamento de línguas no território. O texto ressalta, ainda, o reconhecimento de um status transnacional para o idioma e termina sugerindo uma reflexão sobre o conceito de língua. Por fim, aponta para a urgência da adoção de medidas políticas que considerem o português como língua policêntrica e que reconheçam o território como imerso em globalização, superdiversidade e multilinguismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-08-11

Como Citar

TEIXEIRA-E-SILVA, R.; LIMA-HERNANDES, M. C. Políticas linguísticas e língua portuguesa em Macau, China: à guisa de introdução. Signótica, Goiânia, v. 26, n. esp., p. 61–76, 2014. DOI: 10.5216/sig.v26iesp.31400. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/31400. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo