Amores póstumos

Autores

  • João Camilo dos Santos University of California Santa Barbara, Califórnia, Estados Unidos

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v25i1.25709

Palavras-chave:

Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro, Relações Amorosas

Resumo

Este estudo é uma análise de dois romances de Machado deAssis: Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro a partir de duas perspectivas: 1) Uma relação amorosa raramente está terminada quando termina porque a memória, a necessidade de entender o que aconteceu, ou simplesmente a dor ou a frustração, persistem. Assiste-se então a uma tentativa de reconstrução do que sucedeu, surgindo a memória de outros acontecimentos ou a reavaliacão dos detalhes da relação. Novos sentidos, dúvidas, interpretações diferentes desempenham ainda um papel importante na existência daquele ou daquela que recorda e tenta  compreender. 2) Os dois romances de Machado contam-se entre os melhores exemplos das mudanças que tiveram lugar no século XIX nas relações entre os homens e as mulheres e na maneira de entender e viver o casamento, instituição respeitável e que Machado respeitava mas nos obriga a reavaliar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Camilo dos Santos, University of California Santa Barbara, Califórnia, Estados Unidos

Professor doutor da University of California

Downloads

Publicado

2013-10-14

Como Citar

DOS SANTOS, J. C. Amores póstumos. Signótica, Goiânia, v. 25, n. 1, p. 145–156, 2013. DOI: 10.5216/sig.v25i1.25709. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/25709. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo