A voz do feminino marcado em “Eu e Jimmy”, de Clarice Lispector: reflexões sobre gênero e poder

Autores

  • Lucas dos Santos Passos Universidade Federal de Goiás (UFG), Catalão, Goiás.
  • Luciana Borges Universidade Federal de Goiás (UFG), Catalão, Goiás.

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v26i1.23419

Palavras-chave:

Clarice Lispector, relações de gênero, supremacia masculina.

Resumo

Este artigo analisa os conflitos marcados pela assimetria de gênero no conto “Eu e Jimmy”, de Clarice Lispector. Para traçar algumas reflexões sobre a (i)materialidade do texto, os ditos e não ditos e os discursos que partem e circulam no conto, no que diz respeito às relações de gênero, partimos do marco binário e oposicional masculino/feminino e da experiência familiar de uma mulher que, desde pequena, assistiu à mãe seguindo as ideias de um pai rígido e imperioso. Uma vez tendo aprendido a supremacia masculina, essa mulher tornou-se uma seguidora cega das ideias de seus namorados e dos homens em geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas dos Santos Passos, Universidade Federal de Goiás (UFG), Catalão, Goiás.

Bolsista do Programa de Iniciação Científica da UFG (PIBIC/CNPq). Graduando em Matemática pela UFG - Campus Catalão. Membro do Grupo Dialogus - Estudos Interdisciplinares em Gênero Cultura e Trabalho.

Luciana Borges, Universidade Federal de Goiás (UFG), Catalão, Goiás.

Doutora em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás. Professora do Departamento de Letras da UFG - Campus Catalão. Membro do Grupo Dialogus - Estudos Interdisciplinares em Gênero Cultura e Trabalho.

Downloads

Publicado

2014-11-12

Como Citar

PASSOS, L. dos S.; BORGES, L. A voz do feminino marcado em “Eu e Jimmy”, de Clarice Lispector: reflexões sobre gênero e poder. Signótica, Goiânia, v. 26, n. 1, p. 147–169, 2014. DOI: 10.5216/sig.v26i1.23419. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/23419. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo