O uso da Língua Brasileira de Sinais para a promoção da inclusão em museus: revisando a literatura

Autores

  • Gabriela Sehnem Heck Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: heck.gs@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-1175-8963
  • José Luis Schifino Ferraro Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: jose.luis@pucrs.br http://orcid.org/0000-0003-4932-1051

DOI:

https://doi.org/10.5216/rs.v6.63943

Palavras-chave:

Língua Brasileira de Sinais- Libras. Museu. Inclusão. Surdos.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo principal compreender como a elaboração e execução de atividades específicas em museus, voltadas à comunidade surda, podem ser aliadas para a inclusão destes visitantes. Para a coleta de dados, foi realizada uma pesquisa bibliográfica a partir dos bancos de dados on-line BDTD-IBICT e Google Acadêmico, abrangendo os anos de 2009 e 2019. Os resultados obtidos foram divididos em três eixos: recursos humanos, recursos estruturais e recursos visuais. Conclui-se que é indispensável a presença de mediadores e funcionários surdos como condição para a elaboração de atividades, mas também a presença de pessoal capacitado, surdos ou ouvintes, para a realização da tradução e interpretação. Cabe às instituições promoverem atividades de formação e capacitação voltadas aos funcionários e à comunidade em geral, ampliando a acessibilidade. Sugere-se a criação de uma coordenadoria específica para assuntos que envolvam a acessibilidade e inclusão, permitindo o desenvolvimento de atividades para os surdos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Sehnem Heck, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: heck.gs@gmail.com

ossui graduação em Ciências Biológicas -Licenciatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2015-2018), com Menção Honrosa e Láurea Acadêmica. Atualmente é Mestranda do Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul com bolsa de Dedicação Exclusiva da CAPES (2019- atual). Tem certificação em Curso em Língua Brasileira de Sinais nível Básico (2018), Intermediário (2019) e Avançado (2019) pela Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos - FENEIS-RS. Trabalhou como bolsista de Iniciação Científica no Laboratório de Bioquímica Estrutural (LaBioQuEst - PUCRS), com pesquisas relacionadas à Docking Molecular; no Laboratório de Geobiologia do Instituto do Petróleo e dos Recursos Naturais (IPR-PUCRS), exercendo experimentos com cultivo de microrganismos obtidos a partir de folhas e submetidos a diferentes meios e atmosferas, para simular as condições do planeta Marte; e no Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS (MCT-PUCRS) com Educação Inclusiva e atividades em Libras, realizando ?Minutos da Ciência? sobre a Língua Brasileira de Sinais na exposição do museu. Atualmente pesquisa temas relacionados à Educação Inclusiva, Educação de Surdos, Educação em Libras e Educação em Espaços não-formais de Ensino. 

José Luis Schifino Ferraro, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: jose.luis@pucrs.br

Doutor em Educação. Professor dos Programas de Pós-Graduação em Educação e Educação em Ciências e Matemática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Referências

ALBUQUERQUE, ROBERTA SILVA VILARIÑO AGUILERA. AS VOZES E A MEMÓRIA DO SILÊNCIO: A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DOS MUSEUS NA RECONSTITUIÇÃO E NA PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA SURDA. RIO DE JANEIRO. 2018. DISSERTAÇÃO (MESTRADO EM MEMÓRIA E ACERVOS) – PPGMA, FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA, RIO DE JANEIRO, 2018. DISPONÍVEL EM: HTTP://RUBI.CASARUIBARBOSA.GOV.BR/HANDLE/20.500.11997/7160. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

ARAÚJO, VERA LÚCIA SANTIAGO; ALVES, SORAYA FERREIRA. TRADUÇÃO AUDIOVISUAL ACESSÍVEL (TAVA): AUDIODESCRIÇÃO, JANELA DE LIBRAS E LEGENDAGEM PARA SURDOS E ENSURDECIDOS. TRABALHOS EM LINGÜÍSTICA APLICADA, V. 56, N. 2, P. 305, 2017. DISPONÍVEL EM: HTTP://SEARCH.PROQUEST.COM/OPENVIEW/248B5B04B6277F0396174EC13B51F52B/1?PQ-ORIGSITE=GSCHOLAR&CBL=2040303. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

ASSIS, ELISA PRADO DE. ACESSIBILIDADE NOS BENS CULTURAIS IMÓVEIS: POSSIBILIDADE E LIMITES NOS MUSEUS E CENTROS CULTURAIS. 2012. DISSERTAÇÃO (MESTRADO EM ARQUITETURA E URBANISMO) – FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO, UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, SÃO PAULO, 2012. DISPONÍVEL EM: HTTP://WWW.TESES.USP.BR/TESES/DISPONIVEIS/16/16133/TDE-23052012-144557/PUBLICO/ELISA_PRADO_ASSIS_ME.PDF. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

BISOL, CLÁUDIA; SPERB, TANIA MARA. DISCOURSES ON DEAFNESS: DISABILITY, DIFFERENCE, SINGULARITY AND CONSTRUCTION OF MEANING. PSIC.: TEOR. E PESQ. VOL.26, N.1, PP.07-13, 2010.

BRASIL. LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015. INSTITUI A LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA (ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA). CÂMARA DOS DEPUTADOS. BRASÍLIA, 2015. DISPONÍVEL EM: HTTPS://WWW.CNMP.MP.BR/PORTAL/IMAGES/LEI_BRASILEIRA_INCLUSAO__PESSOA__DEFICIENCIA.PDF. ACESSO EM 7 NOV. 2019.

CHALHUB, TANIA. ACESSIBILIDADE A MUSEUS BRASILEIROS: REFLEXÕES SOBRE A INCLUSÃO DE SURDOS. TENDÊNCIAS DA PESQUISA BRASILEIRA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, V.7, N.2, 2014. ACESSO EM: HTTP://WWW.BRAPCI.INF.BR/INDEX.PHP/ARTICLE/VIEW/0000017428/58B18C5F0BDCFA08826A6ED04F7D4F16. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

CHALHUB, TANIA; BENCHIMOL, ALEGRIA; ROCHA, LUÍSA MARIA GOMES DE MATTOS. ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO: A INFORMAÇÃO EM MUSEUS PARA OS SURDOS. IN: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 16, 2015, JOÃO PESSOA. ANAIS. JOÃO PESSOA: UFPB, 2017. DISPONÍVEL EM: HTTP://REPOSITORIOS.QUESTOESEMREDE.UFF.BR/REPOSITORIOS/HANDLE/123456789/2997. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

CHALHUB, TANIA; GOMES, MARISA. MUSEUS COMO ATIVIDADE EDUCATIVA: O QUE PENSAM OS ALUNOS SURDOS SOBRE ACESSIBILIDADE? IN: XIX ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (XIX ENANCIB), 2018, LONDRINA, ANAIS. LONDRINA: UEL, 2018. DISPONÍVEL EM: HTTP://ENANCIB.MARILIA.UNESP.BR/INDEX.PHP/XIX_ENANCIB/XIXENANCIB/PAPER/VIEW/1172. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

GOMES, EDUARDO ANDRADE; SOUZA, VINICIUS CATÃO DE ASSIS; SOARES, CHARLEY PEREIRA. ARTICULAÇÃO DO CONHECIMENTO EM MUSEUS DE CIÊNCIAS NA BUSCA POR INCLUIR ESTUDANTES SURDOS: ANALISANDO AS POSSIBILIDADES PARA SE CONTEMPLAR A DIVERSIDADE EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS DE EDUCAÇÃO. EXPERIÊNCIAS EM ENSINO DE CIÊNCIAS, V. 10, N. 1, P. 81-97, 2015.

LEÃO, GABRIEL BERTOZZI DE OLIVEIRA E SOUSA; SOFIATO, CÁSSIA GECIAUSKAS; OLIVEIRA, MARGARETE DE. A IMAGEM NA EDUCAÇÃO DE SURDOS: USOS EM ESPAÇOS FORMAIS E NÃO FORMAIS DE ENSINO. REVISTA DE EDUCAÇÃO PUC-CAMPINAS, CAMINAS, SÃO PAULO, V. 22, N. 1, P. 51-63, 2017. DISPONÍVEL EM: HTTP://PERIODICOS.PUC-CAMPINAS.EDU.BR/SEER/INDEX.PHP/REVEDUCACAO/ARTICLE/VIEW/3001. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

OLIVEIRA, MARGARETE DE. CULTURA E INCLUSÃO NA EDUCAÇÃO EM MUSEUS: PROCESSOS DE FORMAÇÃO EM MEDIAÇÃO PARA EDUCADORES SURDOS. 2015. DISSERTAÇÃO (MESTRADO EM INTERUNIDADES EM MUSEOLOGIA) - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, SÃO PAULO, 2015. DISPONÍVEL EM: HTTPS://WWW.TESES.USP.BR/TESES/DISPONIVEIS/103/103131/TDE-12112015-165232/PT-BR.PHP. ACESSO EM: 20 DE ABRIL DE 2021.

OLIVEIRA, RAQUEL PAIM DE. PROPOSTA DE ACESSIBILIDADE PARA A COMUNIDADE SURDA NO MUSEU AFRO-BRASILEIRO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. 2018. MONOGRAFIA (GRADUAÇÃO EM MUSEOLOGIA) – FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA, SALVADOR, 2018. DISPONÍVEL EM: HTTPS://REPOSITORIO.UFBA.BR/RI/BITSTREAM/RI/27164/1/VERS%C3%83O%20FINAL%20TCC%20-%20RAQUEL%20PAIM%20DE%20OLIVEIRA.PDF. ACESSO EM 07 JAN. 2020.

PEREIRA, SARITA ARAÚJO. A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIA PARA AMPLIAR A EXPERIÊNCIA SONORA/VIBRATÓRIA DE SURDOS. 2016. 116 F. DISSERTAÇÃO (MESTRADO EM ARTES) - UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, UBERLÂNDIA, 2016. DISPONÍVEL EM: HTTP://REPOSITORIO.UFU.BR/HANDLE/123456789/18027. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

QUADROS, RONICE MÜLLER DE. EDUCAÇÃO DE SURDOS: A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM. PORTO ALEGRE: ARTMED, 1997.

SANTOS, JULIANA MOURTHÉ; ALVIM, MARINA NEIVA. EDUCAÇÃO INCLUSIVA EM ESPAÇOS NÃO-ESCOLARES: UM ESTUDO DE CASO DO MUSEU DAS MINAS E DO METAL EM BELO HORIZONTE, MG. ACERVO DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS, N. 1, 2014. DISPONÍVEL EM: HTTPS://WWW.METODISTA.BR/REVISTAS-IZABELA/INDEX.PHP/AIC/ARTICLE/VIEW/696. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

SILVA, ALINE DA CRUZ PORTO. MUSEU VIRTUAL DA HISTÓRIA E MEMÓRIA DA COMUNIDADE SURDA: O CONTEXTO E O PERCURSO DE CRIAÇÃO. 86F. IL. 2015. MEMORIAL NARRATIVO-DESCRITIVO (MESTRADO PROFISSIONAL) – UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA, SALVADOR, 2015. DISPONÍVEL EM: HTTP://WWW.CDI.UNEB.BR/SITE/WP-CONTENT/UPLOADS/2016/03/ALINE-DA-CRUZ-PORTO-SILVA.PDF. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

SILVA, JOÃO PAULO FERREIRA; ROJAS, ANGELINA ACCETTA; TEIXEIRA, GERLINDE AGATE PLATAIS BRASIL. ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL AOS SURDOS EM AMBIENTES CULTURAIS. CONHECIMENTO & DIVERSIDADE, V. 7, N. 13, P. 103-115, 2015. DISPONÍVEL EM: HTTPS://WWW.REVISTAS.UNILASALLE.EDU.BR/INDEX.PHP/CONHECIMENTO_DIVERSIDADE/ARTICLE/VIEWFILE/1787/1427. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

SOARES, MARIA HELENA ALEMANY; PEREIRA, JANAÍ DE ABREU; PATERNO, UÉSLEI, VINAS, ABENAMAR CRISTIAN ELCARAS. A INCLUSÃO DO SURDO NOS ESPAÇOS CULTURAIS E TURÍSTICOS DE FLORIANÓPOLIS. REVISTA VIRTUAL DE CULTURA SURDA, N. 11, 2013. DISPONÍVEL EM: HTTPS://EDITORA-ARARA-AZUL.COM.BR/SITE/ADMIN/CKFINDER/USERFILES/FILES/8)%20PATERNO%20%26%20CIA%20REVISTA%2011.PDF. ACESSO EM: 07 JAN. 2020.

TORRES, JULIANA GROTTI VIDAL. O DIREITO CULTURAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. 2012. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (GESTÃO DE PROJETOS CULTURAIS E ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS) – UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, SÃO PAULO, 2012. DISPONÍVEL EM: HTTP://CELACC.ECA.USP.BR/?Q=PT-BR/TCC_CELACC/DIREITO-CULTURAL-DA-PESSOA-DEFICIENCIA. ACESSO EM: 20 ABR. 2021.

Downloads

Publicado

02-06-2021

Como Citar

Heck, G., & Ferraro, J. L. S. (2021). O uso da Língua Brasileira de Sinais para a promoção da inclusão em museus: revisando a literatura. Revista Sinalizar, 6. https://doi.org/10.5216/rs.v6.63943

Edição

Seção

Artigos