Resgate, valorização, educação e documentação do patrimônio por meio de sketches

Autores

  • Luana M. E. Kallas
  • Juan Carlos Guillen-Salas Grupo de pesquisa LFDC, Universidade de Brasília (UnB)
  • Eliel Américo Santana da Silva Universidade de Brasília (UnB)

Palavras-chave:

Resgate. valorização. educação patrimonial. documentação. patrimônio. sketches.

Resumo

Desde a pré-história podemos identificar o desenho e a pintura como forma de representação e registro da história. Os desenhos e pinturas eram a única forma de capturar um momento da história, os costumes, a fauna e a flora de um lugar, como apresentado por diversos naturalistas pelo mundo. No Brasil dos séculos XVII, XVIII e XIX, alguns expoentes desses naturalistas, como Jean Baptiste Debre, William John Burchell, Johann Moritz Rugendas, entre outros representaram as cidades mais importantes do Brasil, como Rio de Janeiro, São Paulo e desbravaram selva, rios e chegaram às aldeias e cidades do interior do país, registrando épocas, documentando-os para o presente e futuro. Hoje, os desenhistas de rua contemporâneos representam as cidades e ao mesmo tempo se aproximam e/ou se reaproximam do patrimônio de suas cidades por meio de desenhos. De outro lado, muitas pessoas, devido à rotina cotidiana deixam de conhecer o patrimônio da cidade, o que faz a população esquecer sua história e esse esquecimento leva ao descuido de seu patrimônio. Nesse sentido, este estudo parte da hipótese de que os sketches são uma forma de resgate, valorização, como também de documentação do patrimônio arquitetônico e urbanístico contribuindo para a consciência de uma herança cultural e uma educação patrimonial. Nesse sentido, o objetivo geral deste trabalho é identificar se os sketches urbanos são uma forma de resgatar, valorizar e documentar o patrimônio arquitetônico e urbanístico e se contribuem para uma consciência da herança cultural, ou seja, a educação patrimonial. A metodologia aplicada foi o levantamento do referencial teórico acerca do patrimônio, documentação e valorização; levantamento dos desenhos dos naturalistas do passado de Frans Post, José Joaquim Freire, Joaquim Jose Codina, Jean-Baptiste Debret e dos desenhistas de rua contemporâneos; um questionário aplicado para todo o Brasil, por meio do Google Forms, de forma remota e online, principalmente aos desenhistas de rua, sobre a temática do desenho e a valorização do patrimônio material e cultural; sistematização do questionário, apresentação dos resultados e discussão. Os resultados apresentaram que 102 dos 104 respondentes ao questionário acreditam que os desenhos ou sketches resgatam e valorizam o patrimônio material e cultural, arquitetônico e urbanístico. Dessa forma, o objetivo foi atendido e a hipótese comprovada, que os sketches são uma forma de resgatar, valorizar e documentar o patrimônio arquitetônico e urbanístico e, ao mesmo tempo, contribuem para a educação patrimonial.

Biografia do Autor

Luana M. E. Kallas

Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela UnB (2015), linha de pesquisa em Planejamento e desenho urbano. Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela UnB(2008), linha de pesquisa de planejamento e desenho urbano. Especialista em Paisagismo pelo Instituto Camillo Filho(2005). Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Piauí (2003). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento urbano, regional e metropolitano, com enfoque nos instrumentos da política urbana; paisagem, com enfoque em paisagismo e novos usos dos espaços públicos; e, a sustentabilidade, com enfoque em infraestruturas verdes e conforto ambiental. Foi Professora na FAU UnB e atualmente é Professora Adjunta no curso de Arquitetura e Urbanismo e Professora permanente do curso de Pós-graduação Projeto e Cidade (PPGPC) da Faculdade de Artes Visuais na Universidade Federal de Goiás, campus Goiânia (FAV/ UFG), sendo Editora-chefe da Revista Jatobá, do Programa de Pós-graduação Projeto e Cidade da FAV/UFG e é representante e correspondente desde 2015 do Urban Sketchers de Brasília/DF, bem como coordena o projeto de Extensão Goiânia em Traços, que visa resgatar e reconhecer a cidade por meio da observação durante o caminhar, o flanar representando-a em sketches urbanos, e assim valorizando o patrimônio cultural, arquitetônico e natural da cidade. É representante individual ICOMOS BR Documentação em Goiás.

Juan Carlos Guillen-Salas, Grupo de pesquisa LFDC, Universidade de Brasília (UnB)

Doutor em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília, Brasília DF - Brasil. TESE: Biomimética - Fabricação Digital - Fabricação Robótica - Envoltórias Arquitetônicas. Projetação e Fabricação de Pavilhão Biomimético de Forma Complexa, Celular e Responsivo com Tecnologias Digitais e Robótica em Brasília - DF. ÁREA DE PESQUISA: Tecnologia, Ambiente e Sustentabilidade. LINHAS DE PESQUISA: Tecnologia de Produção do Ambiente Construído: Modelagem Paramétrica, Fabricação Digital e Customização em Massa, Biomimética, Fotogrametria Arquitetônica Digital, Fotogrametria Arquitetônica Digital com Drone, Escaneamento 3D, Desenho Paramétrico, Desenho Algorítmico-Generativo, Simulação Computacional, Prototipagem Rápida, Realidade Virtual, Realidade Aumentada, Dispositivos Responsivos, Origami na Arquitetura, Plataforma Arduíno, Fabricação Digital. PESQUISADOR: Laboratório de Fabricação Digital e Customização em Massa da LFDC da FAU/UnB. GUPO DE PESQUISA/CNPq: LFDC - Laboratório de Fabricação Digital e Customização em Massa. REPRESENTANTE OFICIAL: Urban Sketchers Brasília. PÁGINAS NO FACEBOOK: Juan Guillén-Fabricação Digital-Brasília DF, Juan Guillén-Fotogrametria Arquitetônica-Drone-Brasília DF, Juan Guillén-Simulação Computacional-Brasília DF, Juan Guillén-Fotografia de Arquitetura- Brasília DF, Juan Guillén-Urban Sketch-Brasília DF, Urban Sketchers Brasília USK BsB. 

Eliel Américo Santana da Silva, Universidade de Brasília (UnB)

Possui graduação em ARQUITETURA pela Universidade Federal do Pará (1990), mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília (2000), doutorado em Urbanismo pelo PROURB-FAU, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 2012. Atualmente é Professor Adjunto 1 da Universidade de Brasília (FAU-UnB). Representante do Urban Sketchers Brasília/DF.

Referências

MORIM, A. L. de. A Documentação Digital do Patrimônio Construído: Possibilidades e Desafios. ENANPARQ. 2010.

AMORIM, A. L. de; CHUDAK, D. Patrimônio histórico digital: documentação do Pelourinho, Salvador - Bahia, Brazil, com tecnologia 3D Laser Scanning. SIGRADI. 2005.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Tradução Irene Aron. Belo Horizonte. Editora UFMG, 2007.

BNdigital. Alexandre Rodrigues Ferreira. 2020. Disponível em: https://bndigital.bn.gov.br/dossies/alexandre-rodrigues-ferreira/sobre-alexandre-rodrigues-ferreira/. Acesso em: 28 de set., 2020.

BOQUEIRÃO do Sítio da Pedra Furada - Circuito do Sítio do Meio localizado na parte Sul do Parque. In: Fundação Museu do Homem Americano – Fumdham .Arquivo FUMDHAM e André Pessoa, 2020. Disponível: http://fumdham.org.br/midias/midias-fotos/. Acesso em: 28 set.2020.

BOUDELAIRE, Charles. Sobre a Modernidade: o pintor e a vida moderna/Charles Boudelaire; [organizador Teixeira Coelho]. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1996. – (Coleção Leitura).

BOTICA . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra1589/botica>. Acesso em: 14 de Out. 2020. Verbete da Enciclopédia. Acervo: Museus Castro Maya - IPHAN/MinC (Rio de Janeiro, RJ) ISBN: 978-85-7979-060-7

CASARIO . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra61586/casario>. Acesso em: 13 de Out. 2020. Verbete da Enciclopédia. Acervo: Museus Castro Maya - IPHAN/MinC (Rio de Janeiro, RJ) ISBN: 978-85-7979-060-7

CHOAY, Farnçoise. Alegoria do Patrimônio. Lisboa: Edições 70, 1999. (70 Arte e Comunicação). Tradução: Teresa Castro.

CHOAY, Françoise. O patrimônio em questão: antologia para um combate. Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2011.

CHUVA, M. (org.) História e Patrimônio. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional nº 34 / 2012.

CONFERÊNCIA Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura. Convenção para a protecção do património mundial, cultural e natural. 1972. Disponível em: https://whc.unesco.org/archive/convention-pt.pdf. Acesso em : 26 set.2020.

DANÇARINOS com pele de leopardo. Imagem datada em 6.000aC. Domínio Público. 2020. Disponivel: Desconhecido / Public domain. Acesso em: 28 set.2020.

ENGENHO de Açúcar. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra24413/engenho-de-acucar. Acesso em: 28 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia.

ENGENHO MANUALque Faz Caldo de Cana. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra61279/engenho-manual-que-faz-caldo-de-cana>. Acesso em: 14 de Out. 2020. Verbete da Enciclopédia. Acervo: Museus Castro Maya - IPHAN/MinC (Rio de Janeiro, RJ)ISBN: 978-85-7979-060-7

FERREIRA, M. L. M. Patrimônio: Discutindo alguns conceitos. Diálogos, DHI/PPH/UEM, v. 10, n. 3, p. 79-88, 2006.

FERREZ, Gilberto (org.). O Brasil do primeiro Reinado visto pelo botânico William Hohn Burshell 1825/1829. Rio de ajaneiro: Fundação João Moreira Sales: Fundação Nacional Pró-Memória, 1981.

FGV – CPDOC. Diretrizes do Estado Novo (1937 - 1945) > Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.s/d . In: FGV – CPDOC. Era Vargas: dos anos 20 a 1945. Disponível em: https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/anos37-45/EducacaoCulturaPropaganda/SPHAN. Acesso em: 25 set. 2020.

FRANS Post. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9982/frans-post>. Acesso em: 28 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

GRIGOLETO, M. C. A Documentação Patrimonial: Gênese e Fluxo dos Processos de Tombamento do Museu “Prudente De Moraes”. 2009. f. 169 Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Faculdade de Filosofia e Ciências – Campus Marília, Unesp – Universidade Estadual Paulista.

IGREJA de São Cosme e São Damião em Igaraçu. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra14460/igreja-de-sao-cosme-e-sao-damiao-em-igaracu>. Acesso em: 28 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

INTERIOR de uma Casa de Ciganos. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra61270/interior-de-uma-casa-de-ciganos>. Acesso em: 14 de Out. 2020. Verbete da Enciclopédia. Acervo: Museus Castro Maya - IPHAN/MinC (Rio de Janeiro, RJ)ISBN: 978-85-7979-060-7

IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Patrimônio Cultural – detalhe 218. S/D. Disponível em:http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/218. Acesso em: 24jul.2020.

JEAN-BAPTISTE Debret. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa18749/jean-baptiste-debret>. Acesso em: 14 de Out. 2020. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

JOHN, N. M. Identificação, Valorização e Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural. In: Encontro Estadual de História, XI. Anais eletrônicos. Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, Brasil. 2012.

KALLAS, Luana. Catedral e Museu da República e a torre de TV. Série “Brasília”. In: Vitrúvius Rabiscos. 06/04/2019. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/jornal/charges/5277?page=01&cartoonauthor=145&lang=pt. Acesso em 10.10.2020.

LEMOS, C. A. C. O que é Patrimônio Histórico? Editora e Livraria Brasiliense. 2ª edição, 2010.

MENDES, A. R. O que é Património Cultural. Olhão Gente Singular editora. 2012.

OLIVEIRA, M. M. de. A documentação como ferramenta de preservação da memória. Brasília, DF: IPHAN / Programa Monumenta, 2008. 144 p. : il. ; 28 cm. – (Cadernos Técnicos ; 7).

PESSIS, Anne-Marie; CISNEIROS, Daniela; MUTZENBERG, Demétrio. Identidades gráficas nos registros rupestres do Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí, Brasil. Revista Fumdhamentos, São Raimundo Nonato, v. , p. 33-54, jan. 2018. Anual. Disponível em: http://fumdham.org.br/wp-content/uploads/2019/03/fumdham-fumdhamentos-xv-2018-n-2-_706581.pdf. Acesso em: 13 out. 2020.

PLINY the elder. The Natural History. John Bostock, M.D., F.R.S. H.T. Riley, Esq., B.A. London. Taylor and Francis, Red Lion Court, Fleet Street. 1855. Disponível em: http://www.perseus.tufts.edu/hopper/text?doc=Perseus%3Atext%3A1999.02.0137%3Abook%3D35%3Achapter%3D1. Acesso em: 27 set.2020.

PROSPECTO DA CACHOEIRA do Rio Ixié, o qual desagoa no Rio Negro [Iconográfico]. In: BIBLIOTECA Nacional Digital Brasil. Rio de Janeiro: BNDigital, 2020. Disponível em: http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_manuscritos/mss1309093/mss1309093.jpg. Acesso em 28 set. 2020.

PROSPECTO DA VILLA do Camotá, e da entrada que fez o Exmo. Sr. Martinho de Souza Albuquerque, governador e capitão general do Estado, na tarde do dia 19 de janeiro de 1784 [Iconográfico]. In: BIBLIOTECA Nacional Digital Brasil. Rio de Janeiro: BNDigital, 2020. Disponível em: http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_manuscritos/mss1309089/mss1309089.jpg. Acesso em 28 set. 2020.

PROSPECTO DO NOVO Lugar das Caldas (a), estabelecido na margem oriental, e no principio da primeira cachoeira do Rio Cauaburys, pelo tenente Marcelino Joseph Cordeiro, com mandante da Fortaleza de S.Gabriel: por ordem imediata do Ilmo. e Exmo. Sr. João Pereira Caldas, em carta de 27 de julho 1781; não tendo o governador de funto executado até então a primeira ordem, de 17 de dezembro 1773, ao mesmo respeito [Iconográfico]In: BIBLIOTECA Nacional Digital Brasil. Rio de Janeiro: BNDigital, 2020. Disponível em: http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_manuscritos/mss1255497.jpg. Acesso em 28 set. 2020.

RECIFE e Itamaracá. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra5910/recife-e-itamaraca>. Acesso em: 28 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia.ISBN: 978-85-7979-060-7

RIEGL. A. 1858-1905. O culto moderno dos monumentos: a sua essência e a sua origem. Tradução Werner Rothschild Davidsohn, Anat Falbel.- Iª Ed. São pAulo: Perpectiva, 2014.

RUBINO, S. Lúcio Costa e o Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. REVISTA USP, São Paulo, n.53, p. 6-17, março/maio 2002.

SENADO FEDERAL Patrimônio Cultural. Secretaria de Editoração e Publicações Coordenação de Edições Técnicas. 2014.

SERINHAÉM . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra13173/serinhaem>. Acesso em: 28 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

TOMAZ, P. C. A Preservação do Patrimônio Cultural e sua Trajetória no Brasil. Revista de História e Estudos Culturais. Maio/ Junho/ Julho/ Agosto de 2010 Vol. 7 Ano VII nº 2. ISSN: 1807-6971. Disponível em:www.revistafenix.pro.br. Acesso em: out. 2020.

Downloads

Publicado

09-11-2020

Como Citar

Kallas, L. M. E. ., Guillen-Salas, J. C., & Silva, E. A. S. da. (2020). Resgate, valorização, educação e documentação do patrimônio por meio de sketches. Revista Jatobá, 2. Recuperado de https://revistas.ufg.br/revjat/article/view/66526

Edição

Seção

Dossiê