Mapeamento dos setores-chave das economias locais do estado de Goiás

Autores

  • Débora Meireles FACE-UFG
  • Antonio Marcos de Queiroz Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/reoeste.v7i2.74905

Palavras-chave:

Economias Locais., Estado de Goiás., Técnicas espaciais.

Resumo

O objetivo do estudo é mapear e identificar os setores-chave das economias locais do Estado de Goiás à luz das características do mercado de trabalho formal no período de 2010-2020. Foram utilizados os microdados da RAIS/ME que permitiram as análises de técnicas espaciais: Quociente Locacional e Análise Exploratória de Dados Espaciais. Os resultados indicaram concentração de empregos nos setores do comércio, serviços públicos e indústria; e crescimento de clusters localizados, principalmente, na Região Metropolitana de Goiânia. Portanto, a distribuição espacial do emprego em Goiás é bastante heterogênea, pois cada região de planejamento tem uma especialização em relação aos setores econômicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, E. Análise Exploratória dos Dados Espaciais. In: ALMEIDA, Eduardo. Econometria Espacial Aplicada. Campinas: Alínea, p.103-147, 2012.

BOUDEVILLE, J. R. Los espacios económicos. Buenos Aires: Editorial EUBEDA, 1965.

DINIZ; C. C; CROCCO, M. Economia Regional e Urbana: Contribuições teóricas recentes. Editora UFMG, Belo Horizonte, 2006.

GOIÁS é um dos 5 estados que mais geraram empregos, 05 out. 2021. Disponível em: https://www.goias.gov.br/servico/43-economia/126030-goi%C3%A1s-%C3%A9-um-dos-cinco-estados-que-mais-geraram-empregos.html#:~:text=Consoante%20os%20dados%20apresentados%20pelo,ind%C3%BAstria%20(12%2C5%25). Acesso em: 11 nov. 2022.

HIRSCHMAN, A. The Strategy of Economic Development. New Haven, 1958.

LEMOS et al. Condicionantes territoriais das aglomerações industriais sob ambientes periféricos. In: DINIZ, C. C.; LEMOS, M. B. (Org.). Economia e território. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2005.

MARSHAL, A. Princípios de Economia. São Paulo: Nova Cultura, 1997.

MYRDAL, G. Economic theory and underdeveloped regions. New York: Harper Rose Publishers, 1957.

MONSUETO, S. E.; CARRIJO, B, C.P.S.; MORAES, J.. O papel dos clusters locacionais na formação dos salários da região metropolitana de Goiânia. Gestão & Regionalidade, Goiânia, v.36, n.108, p.5-26, 2020.

PERROUX, F. Note sur la notion de põle de croissance, Economie Apliquée, t. VIII, 1955.

PINTO, R. F.A.; NETO, R. D.N.; KUWAHARA, M. Y. Aglomerados industriais goianos: reflexões sobre as potencialidades para o emprego industrial e o desenvolvimento regional. Revista de Empreendedorismo, Negócios e Inovação, São Bernardo do Campo.v.1, n.1, p.52-65, 2016.

PUTNAM, R. Comunidade e democracia. A experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro, FGV, 1996.

KALDOR, N. A model of Economic Growth. Economic Journal 57, 1957.

REZENDE, A. C. DE; DINIZ, B. P. C. Identificação de clusters industriais: uma aplicação de índices de especialização e concentração, e algumas considerações. Redes, v. 18, n. 2, p. 38-54, 15 ago. 2013.

Downloads

Publicado

2023-04-20

Como Citar

MEIRELES, D. .; MARCOS DE QUEIROZ, A. Mapeamento dos setores-chave das economias locais do estado de Goiás. Revista de Economia do Centro-Oeste, Goiânia, v. 7, n. 2, p. 83–108, 2023. DOI: 10.5216/reoeste.v7i2.74905. Disponível em: https://revistas.ufg.br/reoeste/article/view/74905. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos