Crescimento Econômico da Pecuária de Corte: Evidências para Goiás (1997-2012)

  • Marcos Eduardo de Souza Lauro Universidade Federal de Goiás
  • Silva Neto Waldemiro Alcântara da Universidade Federal de Goiás

Resumo

O presente artigo analisou quais são o sentido, a intensidade, a duração e a permanência de choques nos principais determinantes econômicos sobre o crescimento do produto da pecuária de corte bovina em Goiás, entre 1997 e 2012, à luz da Teoria dos Ciclos Reais de Negócios com a auto regressão vetorial com correção de erro identificado pelo processo de Bernanke (VEC Estrutural). Os principais resultados apontam que choques de oferta, que apresentam efeito predominante, afetam o produto pecuário positivamente, enquanto que os choques de demanda têm efeitos negativos. A análise mostrou também que o crescimento da produção analisada decorreu do estoque de animais e produtividade e que as exportações avançaram decorrente de crescimento no rebanho bovino goiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, L. R. A. A reestruturação da cotonicultura no Brasil: fatores econômicos, institucionais e tecnológicos. 2006. 122 p. Tese (Doutorado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2006.

ALVES, L.R.A.; BARROS, G. S. A. C.; BACCHI, M.R.P. Produção e exportação de algodão: efeitos de choques de oferta e de demanda. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 62, n. 4, p. 381-405, 2008.

BARROS, G. S. A. C.; SPOLADOR, H. F. S.; BACCHI, M. R. P. Supply and demand shocks and the growth of the Brazilian agriculture. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 63, n. 1, p. 35-50, 2009.

BLANCHARD, O. J.; QUAH, D. The dynamic effects of aggregate demand and supply disturbances.The American Economic Review, New York, v. 39, n. 4, p. 665-673, 1989.

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA. Disponível em: <http://www.cepea.esalq.usp.br>. Acesso em: 20 abr. 2016.

______. Crise global diminui custos na pecuária, mas arroba desvaloriza ainda mais. 2010. Disponível em <http://www.cepea.esalq.usp.br/boi/informativos/2009/01BRJan_Dez.pdf>. Acesso em: 24 jul. 2016.

ELLIOT, G.; TOHENBERG, T. J.; STOCK. J. H. Efficient tests for an autoregressive unit root. Econometrica, Oxford, v. 64, n. 4, p. 813-836, 1996.

ESTEVAM, L. A. O Tempo da Transformação: Estrutura e dinâmica da formação econômica de Goiás. 1997. 180 f. Tese (Doutorado) – Instituto de Economia, Universidade de Campinas, Campinas, 1997.

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C. Econometria básica. 5. ed. Porto Alegre: AMGH, 2011. 924 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Área territorial brasileira. 2014a. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/areaterritorial/principal.shtm>. Acesso em: 18 ago. 2016.

______.Pesquisa Pecuária Municipal: tabela 73 - Efetivo dos rebanhos, por tipo de rebanho. 2014b. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/listabl.asp?z=tec=73>. Acesso em 20 abr. 2016.

______.Pesquisa Trimestral do Abate de Animais: Tabela 2092 - Número de informantes, Quantidade e Peso total das carcaças dos bovinos abatidos, no mês e no trimestre, por tipo de rebanho e tipo de inspeção. 2014c. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/listabl.asp?z=tec=1092 >. Acesso em 20 Abr. 2016.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÕMICA APLICADA. IPEADATA. 2014. Disponível em:< http://www.ipeadata.gov.br/ >. Acesso em: 20 abr. 2016.

JOHANSEN, S. Statistical analysis of cointegracion vectors. Journals of Economic Dynamics and Control, Boston.V. 12, p. 231-254, 1988.

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Boletim do ICMS e demais impostos estaduais. Brasília, 2014. Disponível em: <http://www1.fazenda.gov.br/confaz/boletim/valores.htm>. Acesso em: 10 Maio 2016.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR. AliceWeb 2. Disponível em: <http://aliceweb.desenvolvimento.gov.br/>. Acesso em: 26 maio 2016.

OSTERWALD‐LENUM, M. A note with quantiles of the asymptotic distribution of the maximum likelihood cointegration rank test statistics. Oxford Bulletin of Economics and statistics, v. 54, n. 3, p. 461-472, 1992.

PAULA, J. L. Pecuária bovina de corte em Goiás. 2011. 100 f. Dissertação (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2011.

PRATES, D. A alta recente dos preços das commodities. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 27, n. 3, p. 55-67, 2007.

SATOLO, L. F. Dinâmica econômica das flutuações na produção de cana-de-açúcar. 2008, 131 p. Dissertação (Mestrado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2008.

SATOLO, L. F.; BACCHI, M. R. P. Dinâmica econômica das flutuações na produção de cana-de-açúcar. Economia Aplicada, Ribeirão Preto, v. 13, n. 3, p. 377-397, 2009.

SILVA NETO, W. A. Crescimento da pecuária de corte no Brasil: fatores econômicos e políticas setoriais. 2011. 170 f. Tese (Doutorado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011.

SILVA NETO, W. A.; BACCHI, M. R. P. Growth of Brazilian beef production: effect of shocks of supply and demand. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, vol.52, n.2, p. 209-228, 2014.

SPOLADOR, H. F. S. Impactos dinâmicos dos choques de oferta e demanda sobre a Agricultura Brasileira. 2006. 108 f. Tese (Doutorado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2006.

STOCK, J.; WATSON, M. W. Introduction to econometrics. 2. ed. Boston: Addison-Wesley Longman, 2006. 840 p.

Publicado
20-12-2018
Como Citar
Lauro, M., & Waldemiro Alcântara da, S. N. (2018). Crescimento Econômico da Pecuária de Corte: Evidências para Goiás (1997-2012). Revista De Economia Do Centro-Oeste, 4(2), 2-20. https://doi.org/10.5216/reoeste.v4i2.53185
Seção
Artigos