Fusões e aquisições no Brasil e a desnacionalização da produção nos anos 2000

Autores

  • Cesar Tirso Universidade Federal de Uberlândia
  • Michele Polline Veríssimo Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.5216/reoeste.v3i2.46791

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar as características do processo de fusões e aquisições (F&A) no Brasil, buscando identificar uma possível relação com a desnacionalização da produção nos anos 2000. Neste sentido, o trabalho efetiva inicialmente uma contextualização teórica do tema e descreve o perfil nacional sobre as operações de F&A realizadas no período. Posteriormente, analisa-se o investimento estrangeiro direto (IED) juntamente com a desnacionalização da produção a fim de buscar uma correlação entre tais variáveis. As evidências sugerem que as F&A não são influenciadas de forma significativa pelo IED, portanto, acredita-se que tais operações não são diretamente relacionadas com a desnacionalização da produção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cesar Tirso, Universidade Federal de Uberlândia

Pesquisador do Ministério da Educação (MEC) pelo Programa de Educação Tutorial do curso de Ciências Econômicas na Universidade Federal de Uberlândia

Michele Polline Veríssimo, Universidade Federal de Uberlândia

Professora do Instituto de Economia da Universidade Federal de Uberlândia

Referências

AMAL, M.; SEABRA, F. Determinantes do Investimento Direto Externo (IDE) na América Latina: Uma Perspectiva Institucional. Revista EconomiA, Brasília (DF), v.8, n.2, p.231-247, maio/agosto 2007.

BCB. BANCO CENTRAL DO BRASIL. Série Histórica dos Fluxos de Investimento Direto – Distribuição por País ou por Setor. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pt-br/paginas/default.aspx Acessado em: 12 fev. 2016.

BONELLI, R. Fusões e Aquisições no MERCOSUL.IPEA (Instituto de Pesquisa Aplicada) Texto de Discussão 0718, Rio de Janeiro. Abril. 2000.

BORGES, A.C.G.; COSTA, V.M.H.M. Fusões e Aquisições: caracterização e evolução no Brasil no período de 1992 a 2007. Anais do XXVIII Encontro Nacional de Engenharia da Produção: A integração de cadeias produtivas com a abordagem da manufatura sustentável. Rio de Janeiro, v. 13. 2008.

CASTRO, P. G.; FERNANDES, E. A.; CAMPOS, A. C. Os Determinantes do Investimento Direto Estrangeiro no Brasil e no México: Uma Análise Empírica. Anais do XLI Encontro Nacional de Economia. No. 118. ANPEC (Associação Nacional do Centro de Pós-Graduação em Economia), 2014.

CORDEIRO, M. The Seventh M&A Wave. 2015. Disponível em: http://www.camaya.com.br/site/es/insights/52/2014/09/the_seventh_m&a_wave. Acessado em: 31 ago. 2015

HITT, A. M. Estratégias de Aquisição e Reestruturação. In: HITT, A. M. Administração Estratégica: Competitividade e Globalização. Irlanda; Cengage Learning, 2008. p. 180-207.

KPMG. Pesquisa de Fusões e Aquisições 2005 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2006. 32p

KPMG. Pesquisa de Fusões e Aquisições 2008 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2009. 32p

KPMG. Pesquisa de Fusões e Aquisições 2009 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2010. 31p

KPMG. Pesquisa de Fusões e Aquisições 2010 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2011. 31p

KPMG. Pesquisa de Fusões e Aquisições 2012 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2013. 38p

KPMG. Pesquisa de Fusões e Aquisições 2013 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2014. 40p

KPMG. Pesquisa de Fusões e Aquisições 2014 – 4º trimestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2015a. 40p

KPMG, Pesquisa de Fusões e Aquisições 2015 – 1º semestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2015b. 49p

KPMG, Pesquisa de Fusões e Aquisições 2015 – 2º semestre: Espelho das transações realizadas no Brasil. São Paulo. 2016. 48p

KUPFER, D. Diversificação, competências e coerência produtiva. In: KUPFER, D.; HASENCLEVER, L. Economia Industrial: Fundamentos Teóricos e Práticos no Brasil.6ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2002.

MAZARS; MARCCUS PARTNERS.M&A in Fast Growing Countries: Traps and Structuring Opportunities. A study encompassing the BRICS and next 10 emerging or emerged countries, Paris. 2013.

MEYER, K. E.; ESTRIN, S. Brownfield entry in emerging markets. Journal of International Business Studies, p. 575-584, 2001.

PwC. PriceWaterhouseCoopers. Fusões e Aquisições no Brasil. Disponível em http://www.pwc.com.br/pt/publicacoes/servicos/fusoes-aquisicoes.html. Acessado em: 9 de set. 2015.

RODRIGUES, P. C. S. F. N. Fusões e Aquisições Internacionais e Investimentos de Raiz: Determinantes Macroeconómicos e Efeitos sobre o Crescimento. Tese de Doutoramento em Ciências Empresariais, Universidade do Porto, 2009.

SALGADO, R. M. Uma análise da evolução os processos de fusões e aquisições no Brasil no período de 1994 a 2009. Tese de Mestrado, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe, 2010.

SANDRONI, P. Dicionário de Economia do Século XXI. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2005.

SARTI, F.; LAPLACE, M. F. O investimento direto estrangeiro e a internacionalização da economia brasileira nos anos 1990.Economia e Sociedade, v.11, n.1, p.18, 2003.

SCHERER, A. L. F. Investimento Direto Estrangeiro, Fusões e Aquisições e Desnacionalização da Economia Brasileira: Um Balanço da Década do Plano Real. Indicadores Econômicos FEE, Porto Alegre, v.32, n.2, p.107-128, ago. 2004.

SCHMIDT, J. A. Businnes Perspective on Mergers and Acquisitions.In: SCHMIDT, J. A. Making Mergers Work. Alexandria, VA: Society for Huma Resource. 2002

UNCTAD. UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT. World Investment Report 2015: Reforming International Investment Governance. Nova York e Genebra, Nações Unidas. 2015.

Downloads

Publicado

2017-12-26

Como Citar

TIRSO, C.; VERÍSSIMO, M. P. Fusões e aquisições no Brasil e a desnacionalização da produção nos anos 2000. Revista de Economia do Centro-Oeste, Goiânia, v. 3, n. 2, p. 55–71, 2017. DOI: 10.5216/reoeste.v3i2.46791. Disponível em: https://revistas.ufg.br/reoeste/article/view/46791. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos