Políticas de retomada de línguas indígenas em diferentes contextos epistêmicos

Autores

  • Maria do Socorro Pimentel-da-Silva Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/racs.v4i0.59089

Palavras-chave:

Línguas indígenas, Formação de professores, Bilinguismo

Resumo

As temáticas que compõem este artigo refletem os resultados das pesquisas realizadas para o projeto Impactos dos Usos das Línguas Indígenas na Formação de Professores Indígenas no Curso de Licenciatura Intercultural de Formação Superior de Professores Indígenas. Os resultados desse estudo estão contribuindo para a implementação de políticas de valorização dessas línguas na escola e seu fortalecimento nas comunidades indígenas. A partir dessas ideias, é possível propor mudanças pedagógicas, transformando a prática educativa bilíngue em uma ação efetiva para que o ensino consiga transpor as dimensões do espaço escolar, possibilitando uma articulação, tanto com a cosmovisão de cada povo indígena, quanto com as demandas contemporâneas interculturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-08-09

Como Citar

PIMENTEL-DA-SILVA, M. do S. Políticas de retomada de línguas indígenas em diferentes contextos epistêmicos. Articulando e Construindo Saberes, Goiânia, v. 4, 2019. DOI: 10.5216/racs.v4i0.59089. Disponível em: https://revistas.ufg.br/racs/article/view/59089. Acesso em: 4 fev. 2023.