Por um anedotário filosófico

Deleuze e a história da filosofia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v28i2.76864

Palavras-chave:

Gilles Deleuze, Anedotas Vitais, História da Filosofia, Ensino de Filosofia.

Resumo

Esse artigo propõe pensar o modo como as anedotas vitais, conceito elaborado por Friedrich Nietzsche, foram apropriadas metodologicamente por Gilles Deleuze. Essa apropriação, acreditamos, coliga-se ao apelo deleuziano e deleuzo-guattariano por uma renovação da história da filosofia e pela construção de uma perspectiva criativa do ofício filosófico, com fortes impactos sobre o ensino dessa disciplina. Para tanto, iniciaremos recuperando o diálogo travado por Deleuze com algumas concepções canônicas sobre a história da filosofia, mormente as perspectivas de Ferdinand Aquié e Martial Gueroult. Procuraremos sondar o modo como o autor de Diferença e Repetição se inseriu em um debate metodológico sobre como realizar uma história da filosofia eminentemente filosófica. Desse modo, buscando compreender a perspectiva própria erigida por Deleuze, poderemos recuperar a importância das anedotas vitais para sua compreensão do papel da história da filosofia. Para tanto, recuperarmos a leitura vitalista da filosofia espinosana proposta por Deleuze em Espinosa: filosofia prática. Por fim, apresentaremos algumas inquietações sobre a relevância dos usos das anedotas vitais para a construção de um ensino de filosofia outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christian Fernando Ribeiro Guimarães Vinci, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil, vinci@unicamp.br

Professor do Departamento de Filosofia e História da Educação-DEFHE da Faculdade de Educação, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). 

Downloads

Publicado

15-12-2023

Como Citar

VINCI, C. F. R. G. Por um anedotário filosófico: Deleuze e a história da filosofia. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 28, n. 2, 2023. DOI: 10.5216/phi.v28i2.76864. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/76864. Acesso em: 19 maio. 2024.