SOBRE O ÚTIL E O HONESTO EM MONTAIGNE: ENTRE O ESTOICISMO E A RAZÃO DE ESTADO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v22i1.43949

Palavras-chave:

Montaigne, Cícero, Fides, Moral Estoica.

Resumo

Este trabalho se propõe a analisar o primeiro texto do terceiro livro dos Ensaios de Montaigne, intitulado “Do útil e do honesto”, estabelecendo um paralelo entre as ideias de Montaigne com, em primeiro plano, as construções do moralismo estoico bem como, com os preceitos desenvolvidos por Maquiavel. Com isso, pretendemos evidenciar que, no contexto político de sua época, Montaigne afirma a ideia de fides como elemento capaz de garantir a manutenção e a conservação das instituições políticas de modo mais eficaz que a simples ética de resultados professada pelos defensores dos argumentos da razão de Estado, unindo, portanto, tanto a moral estoica, quanto as correntes de pensamento de seu tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taynam Santos Luz Bueno, Universidade de São Paulo - USP - Departamento de Filosofia

Mestre em Filosofia pela Universidade de São Paulo - USP (2010), Graduada e Licenciada em Filosofia pela Universidade de São Paulo - USP (2005) e em Design Gráfico pela Escola Panamericana de Artes (2006). Tem experiência na área de Ética e Filosofia política. É atualmente doutoranda do Depto. de Filosofia - FFLCH - USP, no qual realiza pesquisas na área de filosofia política, no programa de pós-graduação da Universidade de São Paulo (USP). (Fonte: Currículo Lattes)

Downloads

Publicado

2017-07-31

Como Citar

BUENO, T. S. L. SOBRE O ÚTIL E O HONESTO EM MONTAIGNE: ENTRE O ESTOICISMO E A RAZÃO DE ESTADO. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 22, n. 1, p. 221–247, 2017. DOI: 10.5216/phi.v22i1.43949. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/43949. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais