RELIGIÃO: PARA ALÉM DA ACESSIBILIDADE DE UMA EXPERIÊNCIA ARCAICA

Autores

  • José Pedro Luchi Universidade Federal do Espírito Santo - Ufes

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v20i2.37874

Palavras-chave:

Rito, Mito, Solidariedade social, Individualização.

Resumo

Este artigo reconstrói a hipótese de Habermas de que, no complexo sacral, o rito precede o mito e isso explicaria a permanência da religião como fonte arcaica de solidariedade mesmo no contexto do mundo secular. As narrativas míticas, no confronto com a ciência, vão perdendo a capacidade de explicar o mundo, enquanto os rituais religiosos continuam aptos a produzir integração social e a colaborar para a construção de identidades, ao menos para as pessoas que manifestam tal sensibilidade. É estabelecido um confronto com as posições de Charles Taylor, não diretamente sobre a hipótese acima mencionada, mas sobre os pressupostos que a inspiram. Taylor vê a experiência religiosa como gerada no presente, uma abertura à transcendência do interno da moderna ordem imanente, capaz de oferecer terapia às patologias de uma modernidade que, embora tendo realizado grandes avanços, corre o risco de autoencapsulamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

06-03-2016

Como Citar

LUCHI, J. P. RELIGIÃO: PARA ALÉM DA ACESSIBILIDADE DE UMA EXPERIÊNCIA ARCAICA. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 20, n. 2, p. 81–109, 2016. DOI: 10.5216/phi.v20i2.37874. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/37874. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais