FALSIFICAÇÃO, DEDUÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA: UM ESTUDO SOBRE BACHELARD E POPPER

Autores

  • Teresa Castelão Lawless Grad Valley University

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v17i1.17102

Palavras-chave:

aproximação, falsificação, erro.

Resumo

Uma comparação das epistemologias de Bachelard e Popper mostra pontos de contato e também divergências interessantes. Ambos os filósofos defendem o primado teórico do erro em ciência, rejeitam a correspondência entre explicações e observações, e acreditam que a ciência não começa com uma apreensão ingênua ou neutra da realidade, mas pela teoria científica aceite na altura que é preciso falsificar através da dialéctica entre racionalidade e experimentação. Divergências fundamentais incluem o papel da metafísica em ciência e aquele da psicanálise na identificação do erro, bem como de que espécie de teoria e de raciocínio lógico os cientistas partem para a descoberta da verdade aproximada, dedução para Bachelard, indução para Popper.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Teresa Castelão Lawless, Grad Valley University

Filosofia e história das ciências Grand Valley University USA

Downloads

Publicado

15-09-2012

Como Citar

LAWLESS, T. C. FALSIFICAÇÃO, DEDUÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA: UM ESTUDO SOBRE BACHELARD E POPPER. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 159–173, 2012. DOI: 10.5216/phi.v17i1.17102. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/17102. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê de Artigos Originais