Produtividade e índices morfofisiológicos de genótipos de arroz irrigado em ecossistemas contrastantes

Autores

  • Marcos Paulo dos Santos Universidade Federal de Goiás
  • Alencar Junior Zanon Instituto Rio Grandense do Arroz - IRGA
  • Santiago Vianna Cuadra Embrapa Clima Temperado
  • Silvio Steinmetz Embrapa Clima Temperado
  • João Rodrigo de Castro Universidade Federal de Goiás
  • Alexandre Bryan Heinemann Embrapa Arroz e Feijão, Santo Antônio de Goiás, GO

Palavras-chave:

Oryza sativa L., ecofisiologia, época de semeadura, radiação solar.

Resumo

A fenologia e o desenvolvimento da planta de arroz são eventos controlados por condições ambientais e fatores genéticos, sendo o potencial produtivo da cultura definido pela sua interação. Objetivou-se analisar o desempenho de genótipos de arroz irrigado em ecossistemas contrastantes e seus efeitos nas características morfofisiológicas. Dois ecossistemas foram analisados (tropical e subtropical), bem como cultivares recomendadas para regiões tropicais (BRS Catiana e BRS Jaçanã) e subtropicais (BRS Pampa, BRS 7 Taim e IRGA 424). O delineamento foi o de blocos casualizados, com quatros repetições, sendo fatores os genótipos, épocas de semeadura e sítios. Avaliou-se o desenvolvimento fenológico, dinâmica da biomassa, eficiência no uso da radiação e a produtividade de grãos. No ecossistema tropical, a demanda de graus-dia acumulados para o florescimento decresceu com maior magnitude que no subtropical, para as semeaduras tardias. No ecossistema subtropical, os valores de eficiência no uso da radiação foram similares e a produtividade elevada para todas as épocas de semeadura. Já no tropical, verificou-se variação nos valores de eficiência no uso da radiação e produtividade. Maiores acúmulos de graus-dia e de radiação solar na fase reprodutiva e de enchimento de grãos contribuíram para o aumento da produtividade em ambos os ecossistemas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Paulo dos Santos, Universidade Federal de Goiás

Produção Vegetal. Ecofisiologia de grandes culturas

Alencar Junior Zanon, Instituto Rio Grandense do Arroz - IRGA

Pesquisador

Santiago Vianna Cuadra, Embrapa Clima Temperado

Agrometeorologia

Silvio Steinmetz, Embrapa Clima Temperado

Agrometeorologia

João Rodrigo de Castro, Universidade Federal de Goiás

Produção Vegetal. Ecofisiologia de grandes culturas

Alexandre Bryan Heinemann, Embrapa Arroz e Feijão, Santo Antônio de Goiás, GO

Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (1991), Mestrado em Irrigação e Drenagem pela ESALQ/Universidade de São Paulo (1996), Doutorado em Irrigação e Drenagem pela ESALQ/Universidade de São Paulo (2001), Pós-Doutorado em Produção Vegetal pela ESALQ/Universidade de São Paulo (2001-2002) e Pós-Doutorado em Aplicação de Modelos de Simulação de Crescimento no Melhoramento de Arroz de Terras Altas e Milho pelo CIRAD (França). Atualmente é pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Unidade Arroz e Feijão. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Modelagem, atuando principalmente nos seguintes temas: utilização de modelos de simulação de crescimento de culturas para tomada de decisão em irrigação, manejo e melhoramento de culturas anuais.

Downloads

Publicado

04-09-2017

Como Citar

SANTOS, M. P. dos; ZANON, A. J.; CUADRA, S. V.; STEINMETZ, S.; CASTRO, J. R. de; HEINEMANN, A. B. Produtividade e índices morfofisiológicos de genótipos de arroz irrigado em ecossistemas contrastantes. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 47, n. 3, p. 253–264, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/45955. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico