SUPRESSIVIDADE DE DIFERENTES SOLOS A Rhizoctonia solani, NOS CERRADOS DO ESTADO DE GOIÁS

Autores

  • Gilmarcos de Carvalho Corrêa UFG
  • Mara Rúbia da Rocha UFG
  • Juarez Patrício de Oliveira Júnior UFG
  • Iraídes Fernandes Carneiro UFG
  • José Emilson Cardoso EMBRAPA - Arroz e Feijão

Palavras-chave:

Cerrados, solos supressivos, feijoeiro

Resumo

O presente trabalho foi conduzido nas instalações da Embrapa Arroz e Feijão, no município de Santo Antônio de Goiás (GO), com o objetivo de se comparar solos provenientes de diferentes localidades quanto à supressividade a um isolado de Rhizoctonia solani. O delineamento experimental adotado foi inteiramente casualizado, com dez tratamentos (solos de diferentes origens) e três repetições. O experimento foi conduzido em casa de vegetação e foram avaliados stand final, porcentagem de plântulas doentes e severidade da doença. Os resultados indicam que os solos provenientes de Goianésia (GO), cultivados com cana-de-açúcar, e dois dos solos provenientes de Orizona (GO), sendo um de cerrado natural e outro cultivado com pastagem, apresentaram características de supressividade à R. solani, agente causal da podridão radicular do feijoeiro.

PALAVRAS-CHAVE: Cerrados; solos supressivos; feijoeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

12-12-2007

Como Citar

CORRÊA, G. de C.; ROCHA, M. R. da; OLIVEIRA JÚNIOR, J. P. de; CARNEIRO, I. F.; CARDOSO, J. E. SUPRESSIVIDADE DE DIFERENTES SOLOS A Rhizoctonia solani, NOS CERRADOS DO ESTADO DE GOIÁS. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 30, n. 2, p. 29–33, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/2751. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo Científico