SUPRESSIVIDADE INDUZIDA A Rhizoctonia solani Kühn PELA ADIÇÃO DE DIFERENTES RESÍDUOS VEGETAIS AO SOLO

Autores

  • Sheila Andrade Botelho
  • Carlos Agustin Rava
  • Wilson Mozena Leandro
  • Jefferson Luis da Silva Costa

Palavras-chave:

Podridão radicular de Rhizoctonia, controle biológico, população microbiana do solo

Resumo

A matéria orgânica de diversas origens é utilizada na agricultura visando, entre outras finalidades, a estimular a atividade microbiana para limitar a atividade dos patógenos do solo. Sua decomposição induz a atividade de alguns organismos, que se tornam úteis a outros tipos de vida, e estabelece relações sintróficas e antagônicas que mantêm o equilíbrio da comunidade biológica como um todo. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da incorporação de diferentes restos vegetais na incidência de podridão radicular do feijoeiro, cujo agente causal é o fungo Rhizoctonia solani. Em casa-de-vegetação, foram utilizadas bandejas plásticas contendo 4 kg de solo cultivado, inoculado com 104 propágulos de Rhizoctonia solani g-1, ao qual foi incorporado o equivalente a 10 t/ha de matéria seca das seguintes origens: Panicum miliaceum, Sorghum maximum, Dolichos lab-lab, Canavaria ensiformis, Braquiaria brizanta, Panicum maximum e Crotalaria juncea. A incorporação do inóculo e dos resíduos vegetais no solo foi realizada simultaneamente. O solo, nas bandejas, foi mantido próximo da capacidade de campo por 60, 30 e 0 dias, antes de ser realizada a semeadura da cultivar Pérola. A avaliação da intensidade de sintomas foi realizada 15 dias após a emergência, utilizando-se uma escala descritiva de 0 a 8. A população microbiana foi avaliada a partir das amostras de solo coletadas das bandejas realizando-se uma diluição em série e o plaqueamento em meios de culturas seletivos. A contagem das colônias de bactérias e fungos foi realizada após sete dias e a de actinomicetos após dez dias de incubação. Os resultados obtidos indicam que apenas o solo com material vegetal incubado durante 60 dias reduziu o índice de doença, não mostrando, contudo, diferenças significativas entre as espécies vegetais estudadas. Relacionando-se o número de propágulos de fungos, actinomicetos e bactérias com o índice de doença, verificou-se que os resíduos vegetais que apresentaram maiores populações de microrganismos no solo foram os que apresentaram os menores índices de doença.

PALAVRAS-CHAVE: Podridão radicular de Rhizoctonia; controle biológico; população microbiana do solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Andrade Botelho

Escola de Agronomia da Universidade Federal de Goiás, C.P. 131, CEP 74001-970 Goiânia-GO.

Downloads

Publicado

28-11-2007

Como Citar

BOTELHO, S. A.; RAVA, C. A.; LEANDRO, W. M.; COSTA, J. L. da S. SUPRESSIVIDADE INDUZIDA A Rhizoctonia solani Kühn PELA ADIÇÃO DE DIFERENTES RESÍDUOS VEGETAIS AO SOLO. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 31, n. 1, p. 43–46, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/2524. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico