Influências das L1 nativas no português de Timor-Leste: um estudo dos marcadores verbais

Autores

  • Davi Borges de Albuquerque Universidade de Brasília (UnB), Brasília

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v26iesp..31407

Palavras-chave:

língua portuguesa, Timor-Leste, gramaticalização, multilinguismo

Resumo

Este trabalho pretende analisar o português falado em Timor-Leste, apresentando uma característica notória dessa variedade que é o uso de certos advérbios como marcadores aspectuais e modais do verbo, principalmente o emprego de já como marcador de aspecto perfectivo, ainda marcador de aspecto progressivo/durativo, ainda não como modalizador negativo. Argumenta-se aqui que a influência principal na existência desses marcadores é a língua materna (L1) do falante, já que a maioria das línguas nativas de Timor-Leste é de origem austronésia, com a presença de um grande número de marcadores pré-verbais e pós-verbais para expressar diversas categorias gramaticais no verbo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-08-11

Como Citar

ALBUQUERQUE, D. B. de. Influências das L1 nativas no português de Timor-Leste: um estudo dos marcadores verbais. Signótica, Goiânia, v. 26, n. esp., p. 111–121, 2014. DOI: 10.5216/sig.v26iesp.31407. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/31407. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo