A utilização do SCRUM como recurso educacional no processo de aprendizagem em Engenharia de Software

Authors

  • Carlos Alexandre Gouvea da Silva Universidade Federal do Parana, Curitiba - PR
  • Edson Leonardo dos Santos Universidade Federal do Parana, Curitiba -
  • Lucilene Moreira Angelo SENAI-PR, Curitiba PR
  • Mary Anne da Cruz Siqueira de Oliverira SENAI-PR, Curitiba PR
  • Rafael Veiga de Moraes SENAI-PR, Curitiba PR

Abstract

O desenvolvimento e a formação técnica na educação profissional tecnológica constituem um conjunto de métodos e ferramentas educacionais pedagógicas que permitem o aprendizado, exercício e a prática dos alunos em muitas instituições de ensino. Com esse propósito, projetos interdisciplinares buscam contribuir para uma melhor aprendizagem desses indivíduos partindo da construção teórica à prática de forma mais rápida e eficiente. Em cursos do eixo da informática ou computação, a utilização de métodos ágeis e projetos reais vêm sendo empregada como forma de melhorar e aprimorar o aprendizado dos alunos durante a sua formação profissional. Este artigo apresenta o relato positivo da utilização de método ágil Scrum em um projeto com cliente real numa prática interdisciplinar envolvendo alunos do Curso Técnico em Informática em uma instituição de ensino profissionalizante privada na cidade de Curitiba-PR. Resultados mostraram que a realização de projetos interdisciplinares com o Scrum, permitiu uma prática de desenvolvimento de software real onde o aluno pôde conhecer o funcionamento de processos ágeis e os desafios que consistem na entrega contínua de produtos de software funcional bem como os desafios na satisfação dos clientes.

Author Biography

Carlos Alexandre Gouvea da Silva, Universidade Federal do Parana, Curitiba - PR

Carlos Alexandre Gouvea da Silva natural de Antonina, PR é Engenheiro de Computação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) em 2012, Mestre em Engenharia Elétrica em 2015 e atualmente doutorando também em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), sendo também representante efetivo dos discentes no programa de pós-graduação (2016-2017). Faz parte do grupo de pesquisas de processamento/transmissão da informação e laboratório de sistemas de comunicação (LABSIC) no departamento de engenharia elétrica da UFPR.  É membro da Sociedade Brasileira de Telecomunicações (SBrT) e Student Member da Institute of Electrical and Electronics Engineers IEEE, região Latin America. Possui experiências em engenharia, teste e qualidade de softwares, onde também pode lecionar em cursos superiores de engenharia. Suas principais áreas de interesse são telecomunicações, redes de computadores, transmissão e codificação de vídeo, educação e qualidade de ensino em engenharias.

References

C. J. Ferretti, "Formação profissional e reforma do ensino técnico no Brasil: anos 90". Educação & Sociedade, SciELO Brasil, v. 18, n. 59, p. 225–269, 1997.

A. Z. Kuenzer, "A educação profissional nos anos 2000: a dimensão subordinada das políticas de inclusão". Educação e Sociedade, SciELO Brasil, v. 27, n. 96, p. 877–910, 2006.

J. Moll, "Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades". Artmed Editora, 2009.

S. D. Nacional, "Metodologia SENAI de Educação Profissional". Brasília, DF, Brasil: Departamento Nacional, 2013.

M. E. B. B. Prado, "Pedagogia de projetos: fundamentos e implicações". BRASIL. Ministério da Educação. Pedagogia de Projetos e Integração de Mídias. MEC: Brasília, p. 12–17, 2003.

F. G. Rocha, R. F. Sabino e R. H. L. Acipreste, "A metodologia Scrum como mobilizadora da prática pedagógica: Um olhar sobre a engenharia de software". In: FóRUM DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE. Belo Horizonte MG: CBSoft, 2015.

J. S. Thiesen, "A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino aprendizagem". Revista brasileira de educação, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, v. 13, n. 39, p. 545, 2008.

D. T. Sato, "Uso eficaz de métricas em métodos ágeis de desenvolvimento de software". Dissertação de Mestrado em Ciências - Instituto de Matemática e Estatística, Universidade de São Paulo, 29 de Junho de 2007, São Paulo, SP.

M. S. Soares, "Comparação entre metodologias ágeis e tradicionais para o desenvolvimento de software". INFOCOMP Journal of Computer Science, v. 3, n. 2, p. 8–13, 2004.

K. Beck, M. Beedle, A. V. Bennekum, A. Cockburn, W. Cunninghan, M. Fowler, J. Grenning, J. Highsmith, A. Hunt, R. Jeffries, J. Kern, B. Marick, R. C. Martin, S. M llor, K. Schwaber, J. Sutherland e D. Thomas, "Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software". 2016. Disponível em: <http://www.manifestoagil.com.br/>. Acesso em: 7 jul. 2016.

M. S. Soares, "Metodologias ágeis extreme programming e scrum para o desenvolvimento de software". Revista Eletrônica de Sistemas de Informação, v. 3, n. 1, 2004.

W. V. Lima, "Scrum no Brasil". Dissertação de Especialização em Engenharia de Projeto de Software, Universidade do Sul de Santa Catarina, 27 de Junho de 2011, Florianópolis, SC.

J. Sutherland e K. Schwaber, "The scrum papers: Nuts, bolts, and origins of an agile process". ScrumInc, 2007.

H. Kniberg e M. Skarin, "Kanban and Scrum-making the most of both". InfoQ.com C4Media Inc., 2010.

D. V. S. Silva, F. A. O. Santos e P. S. Neto, "Os benefícios do uso de Kanban na gerência de projetos de manutenção de software". In: VIII SIMPóSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - TRILHAS TéCNICAS, (Anais) São Paulo, 2012.

A. M. Cunha, G. B. Silva, J. A. Monte-Mor, M. A. P. Domiciano e R. G. Vieira, "Estudo de caso abrangendo o ensino interdisciplinar de engenharia de software". In: FóRUM DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE. Anais... Campinas-SP: PUC-Rio, 2008.

V. B. Silva, M. W. Barbosa e L. A. C. Carvalho, "Experiências do ensino a distância do gerenciamento ágil de projetos com scrum e apoio de uma ferramenta para gerência de histórias de usuário". Revista Brasileira de Computação Aplicada, v. 8, n. 1, p. 2–13, 2016.

C. O. Melo e G. R. Ferreira, "Adoção de métodos ágeis em uma instituição pública de grande porte. Um estudo de caso". In: WORKSHOP BRASILEIRO DE MÉTODOS ÁGEIS (AGILE BRASIL 2010). (Anais) Porto Alegre: AgilCoop - Cooperativa de Desenvolvimento Ágil de Software, 2010.

L. C. C. Kasperavicius, L. N. M. Bezerra, L. Silva e I. F. Silveira, "Ensino de desenvolvimento de jogos digitais baseado em metodologias ágeis: o projeto primeira habilitação". In: XXVIII CONGRESSO DA SBC -WORKSHOP SOBRE EDUCAÇãO EM COMPUTAÇãO. (Anais) Belém do Pará, PA: SBC - Sociedade Brasileira de Computação, p. 89–98, 2008.

K. S. Borges, M. A. R. Schmitt e S. M. Nakle, "Eduscrum projetos de aprendizagem colaborativa baseados em scrum. RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 12, n. 1, 2014.

B. A. L. Andrade, M. S. Brito, A. S. Sampaio, I. R. Costa, D. L. Santos e C. L. Neto, "Aplicando e adaptando a metodologia ágil scrum no processo de ensino e aprendizagem de engenharia de software baseado no desenvolvimento com equipes distribuídas". In: XVI ERBASE - ESCOLA REGIONAL DE COMPUTAÇÃO - BAHIA, ALAGOAS E SERGIPE. (Anais) Maceió, AL: SBC - Sociedade Brasileira de Computação, 2016.

M. C. Meireles e B. Bonifácio, "Uso de métodos ágeis e aprendizagem baseada em problema no ensino de engenharia de software: Um relato de experiência". In: ANAIS DO SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. (Anais) Maceió, AL: CEIE - Comissão Especial de Informática na Educação, p. 180–189, 2015.

Microsoft. Visual Studio Online. 2016. Disponível em: <https://www.visualstudio.com>. Acesso em: 1 fevereiro de 2016.

Published

23-08-2017