Auxílio à Aprendizagem Associado à Aula Prática em Disciplina do Curso de Engenharia Bioquímica

Authors

  • Juliana Botelho Moreira Universidade Federal do Rio Grande
  • Denise Fontoura Prates Universidade Federal do Rio Grande
  • Elisangela Martha Radmann Universidade Federal do Rio Grande
  • Jorge Alberto Vieira Costa Universidade Federal do Rio Grande
  • Michele Greque Morais Universidade Federal do Rio Grande

Abstract

Este estudo teve como objetivo desenvolver uma estratégia de aprendizado/fixação de conteúdo para a disciplina de Microbiologia I, através da aplicação de questionários à estudantes de engenharia bioquímica. Este trabalho foi conduzido por bolsistas de pós-graduação sob supervisão do professor responsável pela disciplina. A estratégia do trabalho consistiu em aplicar questionários aos estudantes no final das aulas práticas da disciplina de Microbiologia I, através de perguntas complementares aos assuntos abordados na prática. Posteriormente foi aplicado um questionário aos estudantes para que os mesmos avaliassem essa atividade. Pode-se concluir que as atividades realizadas nesse trabalho foram proveitosas para os estudantes, uma vez que 83,3% disseram que a mesma facilita/auxilia no entendimento de conteúdos desenvolvidos em aula prática.

References

R. L. L. S. Filho, P. R. Montejunas, O. Hipólito, M. B. C. M. Lobo. “A evasão no ensino superior brasileiro”. Cadernos de Pesquisa, vol. 37, no. 132, pp. 641-659, 2007.

INEP.Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância. Disponível em: http://www.inep.gov.br. Acesso em: 25 set. 2015.

S. B. Cesar. “A indissociabilidade ensino, pesquisa, extensão e a gestão do conhecimento: Estudo em Universidade Brasileira”. Revista FUMEC, vol. 2, no. 2, pp. 1-43, 2013.

F. M. G. S. C. Moita, F. C. B. Andrade. “Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação”, Revista Brasileira de Educação, vol. 14, no. 41, pp. 269-393, 2009.

M. T. M. Althaus. “Ação didática no Ensino Superior: A docência em discussão”, Teoria e Prática da Educação, vol. 7, no.1, pp. 101-106, 2004.

I. A. S. Booth, V. Villas-boas, F. Catelli. “Mudanças paradigmáticas dos professores de engenharia: ponto de partida para o planejamento do processo de ensinar”. In: Educação, mercado e desenvolvimento: Mais e melhores engenheiros. São Paulo, 2008.

O. L. O. M. Heinig,T. S. Schlichting. Aprendizagem Ativa na Engenharia: Um Enfoque nas Práticas de

Linguagem. Revista Eletrônica Engenharia Viva, vol.1, pp. 21-28, 2015.

I. J. M. Arnold. “Do examinations influence student evaluations?” International Journal of Educational Research, vol. 48, no.4, pp. 215-224, 2009.

R. M. Felder; R. Brent, “Student Ratings of Teaching: Myths, Facts and Good Practices”, Chemical Engineering Education, vol. 42, no.1, pp. 33-34, 2008.

A. C Gil. Didática do Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 2013. Capítulo 14: Como integrar atividades fora da sala de aula.

Published

19-08-2016