RIO ARAGUAIA: O CAMINHO DOS SERTÕES

Autores

  • Francisquinha Laranjeira Carvalho PUC-Goiânia-Goiás-Brasil
  • Maria do Espírito Santo Rosa Cavalcante PUC-Goiânia-Goiás-Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v14i2.9518

Resumo

O presente artigo aborda a multiplicidade, a diversidade e a complexidade que marcaram a historicidade do rio Araguaia, como via de integração, ressaltando o seu poder de coesão social. Descreve o rio como um espaço que provoca, no imaginário contemporâneo, o desejo de conhecer seus mistérios. Mostra a política de povoamento adotada pelos governantes, que teve como propósito, auxiliar o incremento da navegação. Analisa a forma de implantação dos presídios militares, e sua influência sobre a navegação vapor, como agente indutor de profundas alterações nas estruturas sociais até então existentes (os aldeamentos). Apresenta o processo de implantação da navegação a vapor, em meados do século XIX, para o desenvolvimento do comércio e as práticas culturais do ribeirinho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisquinha Laranjeira Carvalho, PUC-Goiânia-Goiás-Brasil


Downloads

Publicado

2010-08-10

Como Citar

CARVALHO, F. L.; CAVALCANTE, M. do E. S. R. RIO ARAGUAIA: O CAMINHO DOS SERTÕES. História Revista, Goiânia, v. 14, n. 2, 2010. DOI: 10.5216/hr.v14i2.9518. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/9518. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê