ENTRE-JORNADAS: COOLIES E NEGROS NAS PLANTATIONS DE TRINIDAD

Autores

  • Alexandre Martins de Araújo Doutorando em História na Universidade Federal de Goiás.

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v10i2.9168

Resumo

Este estudo discute o relacionamento entre as comunidades de indianos e afro-descendentes em Trinidad, durante o século XIX. Essas duas populações coexistiram sob uma tensa atmosfera envolvendo todo o tipo de construção de estereótipos, políticas de dispersão e guerras de interesses, por parte de jornais locais, em defesa de cada grupo envolvido. Assim, surge a seguinte questão: como foi possível para os dois grupos trabalharem juntos, quer dizer, no mesmo espaço das Plantations sem sérios conflitos? Uma provável resposta a essa questão é encontrada na percepção da existência de espaços culturais de negociação, construídos por meio de circunstâncias de “estágios liminares”, dentro de “jornadas”, nas quais pessoas de diferentes culturas podem, temporariamente, perceber um ao outro despojados de status social.

Palavras-chave: Imigração, jornadas, indianos, afro-descendentes, Trinidad.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-03-23

Como Citar

ARAÚJO, A. M. de. ENTRE-JORNADAS: COOLIES E NEGROS NAS PLANTATIONS DE TRINIDAD. História Revista, Goiânia, v. 10, n. 2, 2010. DOI: 10.5216/hr.v10i2.9168. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/9168. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê