SANTIDADE, HIERARQUIA E DEPENDÊNCIA SOCIAL NA ALTA IDADE MÉDIA

Autores

  • Mário Jorge da Motta Bastos Professor da Universidade Federal Fluminense.

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v11i1.9141

Resumo

No marco do fenômeno geral do culto aos santos - expressão vigorosa da religiosidade das sociedades da Alta Idade Média ocidental -, ressalta-se a tendência à convergência de distintos segmentos sociais às relações com o homem santo, tanto em vida quanto após a sua morte. É sobre tal convergência que iremos nos deter neste artigo, tendo em vista a dupla e complementar manifestação que a caracteriza, a um só tempo unívoca, como eixo de atração, e diversa, pela variedade de expressões e de relações sociais que se expressam e se imiscuem a ela, pautando-nos na análise das hagiografias elaboradas na Península Ibérica entre os séculos V e VIII.

PALAVRAS-CHAVE: Espanha visigótica, religião, culto aos santos, hierarquia social, relações de dependência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Jorge da Motta Bastos, Professor da Universidade Federal Fluminense.

 

Downloads

Publicado

2010-03-23

Como Citar

BASTOS, M. J. da M. SANTIDADE, HIERARQUIA E DEPENDÊNCIA SOCIAL NA ALTA IDADE MÉDIA. História Revista, Goiânia, v. 11, n. 1, 2010. DOI: 10.5216/hr.v11i1.9141. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/9141. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos