TEMÍSTIO, O IMPERADOR JULIANO E A DISCUSSÃO EM TORNO DO CONCEITO DE REALEZA NO SÉCULO IV D.C.

Autores

  • Margarida Maria de Carvalho Professora de História Antiga da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp)/Campus de Franca.

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v11i1.9140

Resumo

Há muitos indícios na historiografia do século IV d.C. sobre discussões acerca do conceito de realeza. Isso acontece em um momento que o Império Romano realiza uma mudança acentuada em seus valores políticos e religiosos. Novas idéias sobre as atitudes do monarca e sua cultura político-filosófica são argumentadas por autores cristãos e pagãos. No caso do presente artigo, tem-se como objetivo analisar as construções sobre o conceito de realeza ocorridas nas discussões entre Temístio, filósofo pagão com uma boa inserção na corte imperial da época, e o Imperador Juliano. Serão destacados, nessa contenda, alguns documentos do período, em especial a Carta a Temístio, redigida por Juliano.

PALAVRAS-CHAVE: Antigüidade tardia, Temístio, Imperador Juliano, realeza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-03-23

Como Citar

CARVALHO, M. M. de. TEMÍSTIO, O IMPERADOR JULIANO E A DISCUSSÃO EM TORNO DO CONCEITO DE REALEZA NO SÉCULO IV D.C. História Revista, Goiânia, v. 11, n. 1, 2010. DOI: 10.5216/hr.v11i1.9140. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/9140. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos