A Saúde em tempos de guerra

as ações dos guardas sanitários do SESP na Amazônia paraense (1942-1945).

Autores

  • Edivando da Silva Costa Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v28i1.75296

Palavras-chave:

Guardas sanitários, SESP, Amazônia Paraense

Resumo

RESUMO: Durante a Segunda Guerra Mundial, Brasil e Estados Unidos firmaram acordos na área da saúde com o intuito de combater as doenças que grassavam na Amazônia. Dentre os esforços de guerra, a defesa da saúde dos trabalhadores envolvidos na exploração da borracha fez com que os países se unissem na criação do SESP – Serviço Especial de Saúde Pública –, agência responsável pelo saneamento e educação sanitária da Amazônia. Moradores locais foram recrutados e atuaram como guardas sanitários exercendo tarefas consideradas importantes. Este artigo tem por objetivo analisar as ações desses trabalhadores, o processo de seleção, formação e atuação nas frentes de trabalho no interior do Pará. Para o desenvolvimento da pesquisa, foi utilizada coleta e análise crítica de fontes, como os documentos oficiais do Serviço. Nele, constatou-se o desenvolvimento de políticas públicas para a região e o protagonismo de homens simples, mas que foram responsáveis por levar saneamento e educação sanitária para a Amazonia em tempos de guerra.

Palavras-chave: Guardas sanitários, SESP, Amazônia paraense.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edivando da Silva Costa, Universidade Federal do Pará

Docente na Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará. Doutor em História pela Universidade Federal do Pará.

Referências

BACELLAR, Carlos de A. P. Fontes documentais uso e mau uso dos arquivos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p. 49.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou oficio do historiador. Tradução André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

CARDOSO, José Leandro Rocha. Educando os educadores: Ciências Sociais e educação sanitária na experiência do SESP (1950-1960). Tese. 230 fls. 2009. (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde – FIOCRUZ -. Rio de Janeiro, 2009.

CAMPOS, André Luiz Vieira de. Políticas internacionais de saúde na era Vargas: O Serviço Especial de Saúde Pública. GOMES, Ângela de Castro (organizadora) Capanema: o ministro e seus ministério. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000. p. 121.

HOCHMAN, Gilberto. O sal como solução? Políticas de saúde e endemias rurais no Brasil (1940-1960). Sociologias, Porto Alegre, ano 12, no 24, mai/ago. 2010, p. 161.

MAUAD, Ana Maria. Na mira do olhar: um exercício de análise da fotografia nas revistas ilustradas cariocas, na primeira metade do século XX. Anais do Museu Paulista. São Paulo. N.Série.v.13. n.1. jan-jun. 2005a.

PEREIRA, Isabel Brasil. RAMOS, Marise Nogueira. Educação Profissional em Saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2006, p. 13.

REIS, José Roberto Franco. “É o doutor que vem aí!”: guardas sanitários, relações de trabalho e formação de identidade (décadas de 1930 e 1940). Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 36, nº 71, 2016.

ROCHA, Heloísa Helena Pimenta. A educação sanitária como profissão feminina. Cadernos Pagu (24), janeiro-junho de 2005, p. 75.

SÁ. Samuel. M. de Amorim. “O imaginário social sobre a Amazônia: antropologia dos conhecedores”. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, vol. VI (suplemento), 2000, p. 892.

TEIXEIRA, Carla Costa. Interrompendo rotas, higienizando pessoas: técnicas sanitárias. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 13(3), 2008.

VIEIRA, Mônica. Trabalho, qualificação e a construção social de identidades profissionais nas organizações públicas de saúde. Trabalho, Educação e Saúde. Rio de Janeiro, Vol. 5, nº 2, 2007, p. 247.

VILARINO, Maria Terezinha Bretas. Entre lagoas e florestas: atuação do Serviço Especial de Saúde Pública (SESP) no saneamento do Médio Rio Doce 1942-1960. Dissertação. 2008. (Mestrado em História) Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte MG, 2008.

Downloads

Publicado

2023-12-22

Como Citar

DA SILVA COSTA, E. A Saúde em tempos de guerra: as ações dos guardas sanitários do SESP na Amazônia paraense (1942-1945). História Revista, Goiânia, v. 28, n. 1, p. 157–177, 2023. DOI: 10.5216/hr.v28i1.75296. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/75296. Acesso em: 27 maio. 2024.